Agência Espacial observa sinais de degelo no solo do Ártico

Processo libera gases causadores do efeito estufa, agravando o aquecimento global

EFE |

Getty Images
Icebergs na Groelândia: ártico está sofrendo com a diminuição do gelo
A Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) informou nesta terça-feira (27) que seus satélites permitiram observar sinais de degelo do permafrost, tipo de solo encontrado no Ártico, em um processo que libera gases do efeito estufa e agrava os efeitos da mudança climática.

A agência detalhou que embora não possa medir diretamente do espaço o permafrost, a camada que por definição permanece congelada na Terra mais de dois anos, independentemente da mudança de estações, pode captar indicadores como a temperatura da superfície ou as remodelações do terreno.

Apesar de não oferecer números concretos sobre as mudanças, especificou que "a combinação de medições de campo com sensores remotos e os modelos climatológicos podem fazer avançar nossa compreensão dos complexos processos na área do permafrost e melhorar as previsões climatológicas".

A ESA explicou, no entanto, que embora os últimos dados proporcionem informação valiosa que pode ser utilizada junto à extraída da observação do clima e dos modelos hidrológicos, é necessário prosseguir a avaliação do permafrost no futuro e aprofundar na do passado.

Leia mais:
Perda de gelo no Ártico pode causar depósitos de mercúrio
Cientistas russos atingem lago Vostok, no subsolo antártico
Oceano Glacial Ártico registra recorde de degelo
Derretimento no Ártico causa invernos com mais neve
Derretimento das geleiras provoca aumento das tempestades de poeira

E justificou essa necessidade pelo fato de que "nos estudos da mudança climática é essencial contar com uma série temporária mais longa de dados dos satélites de observação".

A agência lembrou que cerca da metade de carbono orgânico sob terra se encontra no permafrost das regiões setentrionais, o que representa mais que o dobro da quantidade de carbono existente na atmosfera na forma de metano e de dióxido de carbono.

    Leia tudo sobre: mudança climática

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG