Animal foi salvo por praticantes de kitesurfe em Caraguatatuba e foi devolvido à natureza nesta sexta-feira (23) após passar por reabilitação

Kitesurfista Renato Tavolaro Casimiro resgatou bicho-preguiça no mar da praia de Tabatinga, em Caraguatatuba
Divulgação/Instituto Argonauta
Kitesurfista Renato Tavolaro Casimiro resgatou bicho-preguiça no mar da praia de Tabatinga, em Caraguatatuba

Um bicho-preguiça foi salvo por praticantes de kitesurfe após quase se afogar no mar da praia de Tabatinga, em Caraguatatuba, no litoral norte de São Paulo. O animal foi solto nesta sexta-feira (23) após pouco mais de duas semanas sob observação da equipe de veterinários do Instituto Argonauta , organização não-governamental que atua na preservação da costa brasileira.

De acordo com a ONG, o bicho-preguiça foi resgatado pelos kitesurfistas Jaime Navarro e Renato Tavolaro Casimiro em pleno mar quando já apresentava um quadro de afogamento.

"Quando o recebemos, o animal demonstrava muita dificuldade em respirar. O primeiro procedimento feito foi para dilatar os pulmões”, explicou a veterinária Marina Sanches, do Instituto Argonauta.

O fato de o mamífero ter sido encontrado em pleno mar chamou a atenção dos integrantes da ONG, uma vez que o animal possui hábitos terrestres e possui destreza no nado – em rios de água doce. “É extremamente inusitado", comentou a bióloga Carla Beatriz Barbosa, coordenadora do instituto responsável pela reabilitação do bicho.

De acordo com a bióloga, o mais provável é que o animal tenha sido levado pela correnteza de algum rio em direção ao mar.

Golfinho morto

Após quase se afogar em praia de Caraguatatuba, bicho-preguiça foi devolvido à natureza nesta sexta-feira
Divulgação/Instituto Argonauta
Após quase se afogar em praia de Caraguatatuba, bicho-preguiça foi devolvido à natureza nesta sexta-feira

O Instituto Argonauta também teve trabalho na última semana ao encontrar um golfinho morto em praia de Ubatuba , também no litoral norte paulista. O animal estava com o focinho preso em uma tira de chinelo e necrópsia realizada no animal pelo Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos do Instituto Argonauta constatou que o mamífero morreu em decorrência de uma infecção provocada pelo objeto preso ao seu corpo.

Foi constatado no laudo da necrópsia que o chinelo permaneceu preso ao focinho do animal por um longo período, levando-o à inanição e a uma grave infecção.

Já em Balneário Camboriú, em Santa Catarina, um leão marinho foi encontrado no início da semana na praia de Laranjeiras e está sob monitoramento de veterinários, que atestaram boas condições de saúde do animal, que não apresenta ferimentos. Assim como o bicho-preguiça salvo na praia de Caraguatatuba, o leão marinho também deve ser devolvido à natureza em breve.

Leia também: Sarney Filho nega ter havido retaliação por parte do governo da Noruega

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.