Para combater superpopulação, Austrália captura e mata 700 coalas

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Os marsupiais, que estariam famintos, foram capturados e sedados antes de serem abatidos pelas autoridades do país

As autoridades da Austrália capturaram e mataram 700 coalas que estariam perto de morrer de fome nos últimos dois anos na região de Cape Otwat, Oeste do país. A notícia, confirmada pelo Ministério do Ambiente, foi divulgada pelo site da rede local ABC.

Imagem de marsupiais no país, o único no mundo onde a espécie pode ser encontrada
undefined
Imagem de marsupiais no país, o único no mundo onde a espécie pode ser encontrada

Segundo as autoridades, os coalas foram mortos devido à superpopulação da espécie na Austrália, que convive com animais selvagens em grandes cidades, como cangurus, insetos e cobras venenosas.

Leia também:
Ativistas protestam contra matança de 400 cangurus

Os marsupiais foram capturados e sedados antes de serem mortos, de acordo com oficiais, segundo os quais a ação foi realizada entre 2013 e 2014, nas proximidades da estrada Great Ocean.

Veja animais com características estranhas:

Uacari careca: o focinho vermelho é a marca da espécie, encontrada principalmente nas florestas do Brasil e do Peru. Foto: Wikimedia CommonsUacari careca: para cientistas, a cor é resultado da falta de pigmentação no macaco, o que ressalta a coloração dos vasos sanguíneos através da pele. Foto: Wikimedia CommonsPeixe-gelo antártico: a ausência de cor no vertebrado resulta da falta de hemoglobina no sangue. Espécie vive a mil metros de profundidade. Foto: Reprodução/YoutubeSapo roxo da Índia: adaptado para viver grande parte do tempo no subsolo, o girino tem um nariz achatado e pernas curtas próprias para cavar. Foto: Reprodução/YoutubeSapo roxo da Índia: cientistas acreditam que essas características são resultado da adaptação da espécie para viver no subsolo. Foto: Reprodução/YoutubeMacaco-de-Dollman: espécie foi descoberta recentemente em Mianmar e se destaca pelo nariz arrebitado . Foto: Reprodução/YoutubeMacaco-de-Dollman: população da espécie é estimada atualmente em 260 a 300 indivíduos. Eles são alvos de caçadores. Foto: Wikimedia CommonsPolvo-cobertor: encontrado nos mares da Nova Zelândia e Austrália, o animal possui 'cobertor' utilizado para, entre outras coisas, capturar presas. Foto: Reprodução/YoutubePolvo-cobertor: o tamanho do 'manto' serve ainda para identificar machos e fêmeas - fêmeas possuem quase dois metros a mais. Foto: Reprodução/YoutubeMariposa Beija-Flor: encontrado na Europa e Ásia, inseto possui duas trombas para sugar néctar e um mover de asas tão rápido quanto o de um beija-flor. Foto: Wikimedia CommonsSalpa: composto por vários organismos, espécie vive na costa da Califórnia e pode se tornar comum nos oceanos graças a sua capacidade de adaptação. Foto: Wikimedia CommonsGorgulho-girafa: esses besouros utilizam árvores específicas como fonte de alimento e habitat em Madagascar, onde são encontrados. Foto: Wikimedia CommonsGorgulho-girafa: para os machos da espécie, o pescoço é usado como mecanismo de combate durante a luta pela fêmea. Foto: Wikimedia Commons

"É um desafio complexo", disse Lisa Neville, ministra do Meio Ambiente australiano. "Está claro para nós que temos tido coalas sofrendo na região devido a doenças e à fome. Eu tinha a intenção de garantir a melhor ação possível para esta situação de superpopulação. Não quero que os coalas sofram."

A matança, no entanto, não resolveu o problema de superpopulação da espécie na Austrália, único país em que o coala é encontrado no mundo. Segundo o ministério, os números dos coalas seguem crescendo.

Leia tudo sobre: coalasaustráliasuperpopulaçãomarsupial

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas