Do queijo do rato à cenoura do coelho: conheça falsos mitos sobre os animais

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Estão na lista a verdade sobre a emissão do gás metano por bois e vacas e o motivo da constante mudança de cor do camaleão

Donos de um olfato aguçado e sensivel, os ratos são repelidos pelo forte cheiro do queijo, e não atraídos, como se vê em desenhos animados e no cinema. A conclusão é de pesquisa liderada por David Holmes, estudioso do comportamento animal da Manchester Metropolitan University, Inglaterra.

Segundo Holmes, os roedores têm uma dieta rica em grãos e alimentos ricos em açúcar, como frutas. "Os ratos evoluíram quase inteiramente sem queijo ou qualquer coisa parecida com ele”, disse. Veja outros mitos sobre os animais:

Ratos não são atraídos por queijo: por causa do nariz sensível, os roedores evitam alimentos de cheiro e sabor acentuados. Foto: Wikimedia CommonsRatos não são atraídos por queijo: a melhor maneira de atrair o animal é apostar em comidas com alto teor de açúcar, como biscoitos. Foto: Wikimedia CommonsMorcegos não são cegos: apesar dos olhos pequenos e pouco desenvolvidos, algumas espécies enxergam até dez vezes mais que o homem. Foto: Getty ImagesMorcegos não são cegos: sistema de locomoção do animal funciona como um radar. Audição e olfato também são aguçados. Foto: Reprodução/YoutubeCenoura faz mal aos coelhos: em excesso, legume é prejudicial ao bicho, diz a Sociedade Real para a Prevenção da Crueldade contra os Animais. Foto: Wikimedia CommonsCenoura faz mal aos coelhos: Por ter alto teor de açúcar, o alimento pode matar o animal se dado diariamente. Foto: Wikimedia CommonsMemória do peixe-dourado não dura segundos: estudos comprovam que o peixe pode associar sons e objetos a comida, perigo, entre outros. Foto: Wikimedia CommonsMemória do peixe-dourado não dura segundos: testes provam que o animal se lembra de coisas por até cinco meses. Foto: Wikimedia CommonsCamelos não armazenam água nas corcovas: protuberâncias estocam gordura. Assim, o animal obtém energia e sobrevive semanas sem comida. Foto: Wikimedia CommonsCamelos não armazenam água nas corcovas: para garantir a hidratação, possuem glóbulos vermelhos de diferentes formatos, além de rins e intestinos bem eficientes. Foto: Wikimedia CommonsCamaleão não muda de cor para se camuflar: a cor do lagarto muda de acordo com seu estado de espírito, suas emoções. Foto: Wikimedia CommonsCamaleão não muda de cor para se camuflar: além do 'humor', temperatura e luz também podem influenciar nas variações. Foto: Wikimedia CommonsAvestruz não enterra a cabeça na areia: apesar de darem essa impressão ao olhar de longe, a ave cava buracos apenas quando faz seu ninho. Foto: Wikimedia CommonsAvestruzes não enterram as cabeças na areia: a mãe coloca o cabeça várias vezes ao dia no buraco, mas apenas para checar os ovos. Foto: Wikimedia CommonsBaratas não sobreviveriam a ataque nuclear: a bomba de Hiroshima irradiou até 34 mil rads (unidade de absorção de radiação); baratas suportam até 20 mil. Foto: Reprodução/YoutubeBaratas não sobreviveriam a ataque nuclear: seres humanos suportam apenas 1 mil rads. Já as vespas, até 180 mil rads. Foto: Wikimedia CommonsAbelhas nem sempre morrem após ferroada: apenas as operárias morrem. Nelas, seu ferrão está acoplado ao resto do corpo. Foto: Wikimedia CommonsAbelhas nem sempre morrem após ferroada: já zangões liberam seu veneno de forma mais 'suave', tornando possível ferroar pela segunda vez. Foto: Wikimedia CommonsVacas emitem gás poluente: gado é responsável por 4% da emissão mundial de metano por meio do arroto. Foto: Wikimedia CommonsVacas também são responsáveis pela poluição do ar: o animal também emite o gás pela flatulência, mas em menor quantidade. Foto: Wikimedia Commons


Leia tudo sobre: mitos sobre os animaiscenouracoelhoratoqueijoboi e vacametanopoluicao do ar

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas