Conheça lugares incríveis que o aquecimento global pode varrer do mapa

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Na lista está a italiana Veneza, que pode se tornar inabitável até o fim deste século por causa de constantes enchentes na região

Os sinuosos canais transformaram a cidade italiana de Veneza em sinônimo de romantismo. Formada em um arquipélago de 118 pequenas ilhas no noroeste do mar Adriático, a área é tida pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) como Patrimônio da Humanidade.

ONU: Impacto do aquecimento global será 'grave e irreversível'

Mas o aquecimento global tem ameaçado o futuro da charmosa cidade da Itália. Nos últimos cem anos, o nível do mar subiu 30 centímetros. Nesse ritmo, de acordo com especialistas, a região pode ficar inabitável até o final do século 21. Conheça este e outros destinos que podem estar com os dias contados:

Veneza, Itália: conhecida por seus inúmeros canais, cidade sinônimo de romantismo pode estar com os dias contados. Foto: Reprodução/YoutubeVeneza, Itália: especialistas afirmam que a área tem sofrido aumento no número de inundações e pode se tornar inabitável até o final deste século. Foto: Wikimedia CommonsMaldivas: a ilha pode ser completamente engolida pela água nos próximos cem anos se o nível do mar continuar a subir. Foto: Wikimedia CommonsMaldivas: o risco é tão evidente que o governo tem comprado terras em outros países para abrigar seus cidadãos. Foto: Wikimedia CommonsMar Morto, Oriente Médio: nos últimos 40 anos, a água rica em magnésio, potássio e cálcio teve seu volume diminuído em um terço. Foto: Wikimedia CommonsMar Morto: pesquisas sugerem que o local pode sumir em menos de 50 anos, já que países vizinhos estão drenando a água do Rio Jordão, que alimenta o Mar. Foto: Getty ImagesMagdalen Islands, Canadá: as praias e falésias de arenito no Golfo de St. Lawrence podem estar com os dias contados por causa do aquecimento global. Foto: Reprodução/YoutubeMagdalen Islands, Canadá: local que recebe saraivada de ventos é protegido por barreira de gelo. Seu derretimento pode culminar no fim da ilha em até 75 anos. Foto: WikiCommonsAlpes: área famosa para praticar ski é suscetível à mudança climática por estar em altitude mais baixa que a das Montanhas Rochosas. Foto: Wikimedia CommonsAlpes: cerca de 3% do gelo glacial alpino desaparece por ano. Especialistas acreditam que as geleiras podem sumir por completo até 2050. Foto: Reprodução/YoutubeIlhas Seychelles: as cerca de 115 ilhas do Oceano Índico estão em perigo por causa da erosão nas praias após devastação de barreira de corais. Foto: Wikimedia CommonsAthabasca Glacier, Canadá: local sofre com o aquecimento do clima e já recuou mais de 1,5 km nos últimos 125 anos. Foto: Wikimedia CommonsParque Nacional Glacier, EUA: o parque já teve mais de 150 geleiras em seus arredores, mas só sobraram 25. Até 2030, esse número pode chegar a zero. Foto: Reprodução/YoutubeAlasca: a tundra é uma das características mais marcantes do Estado, que fica ao norte dos EUA, mas pode estar com os dias contados. Foto: Wikimedia CommonsAlasca: a mudança climática já levou ao degelo da região. Os danos podem alterar drasticamente o ecossistema local. Foto: Wikimedia CommonsGrande Barreira de Corais, Austrália: a maior barreira de corais do mundo está ameaçada pelo aquecimento dos oceanos, poluição, entre outros. Foto: Wikimedia CommonsGrande Barreira de Corais, Austrália: pesquisas indicam que o local pode deixar de existir nos próximos cem anos. Foto: Getty Images


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas