Tempo está se esgotando para reduzir aquecimento global, diz estudo da ONU

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Para 'segurar' temperatura, diz documento, as nações terão de impor drásticas restrições às emissões de gases do efeito estufa

Reuters

As potências internacionais estão correndo contra o tempo para reduzir o uso de combustíveis fósseis altamente poluentes e ficar abaixo dos limites acertados para evitar o aquecimento global, aponta um estudo preliminar da Organização das Nações Unidas (ONU) a ser aprovado nesta semana.

Autoridades governamentais e cientistas especialistas no estudo do clima irão se reunir em Berlim entre os dias 7 a 12 deste mês para revisar o estudo de 29 páginas que também estima que a mudança para o uso de energia de baixo carbono poderia custar algo entre dois e seis por cento da produção mundial em 2050.

O documento afirma que as nações terão de impor drásticas restrições às emissões de gases do efeito estufa para manter a promessa acertada entre quase 200 países em 2010 para limitar o aquecimento global a menos de 2 graus Celsius acima da era pré-industrial.

As temperaturas já aumentaram cerca de 0,8 grau desde 1990 e devem atingir o teto dos 2 graus Celsius nas próximas décadas, caso as tendências atuais sejam mantidas, diz o relatório.

Tais aumentos na temperatura podem elevar os riscos para a produção de alimentos e obtenção de água, e podem provocar danos irreversíveis, como o derretimento de gelo na Groenlândia, diz o estudo da ONU.

O documento preliminar destaca maneiras de cortar emissões e estimular o uso de energia de baixo carbono.

Leia tudo sobre: MUNDOONUTEMPOAQUECIMENTO

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas