Mulher cuida de filhote órfão de macaco 24 horas por dia

Por AP |

compartilhe

Tamanho do texto

Colombiana de 54 anos fez uma bolsa de lã para animal que ainda não anda e que foi deixado em um centro de recuperação em Bogotá

AP

AP Photo/Fernando Vergara
Macaco da noite de 15 dias é alimentado em Centro de Recepção de Vida Selvagem de Bogotá

O pequeno macaco da noite fica com Martha Silva 24 horas por dia. O filhotinho fica aninhado dentro de uma bolsa de lã e oito vezes por dia elq enche uma seringa com leite e alimenta o animal como uma mão zelosa. O cuidado constante não incomoda a mulher colombiana de 54 anos. Ela afirma que já cuidou de duas crianças crescidas.

“Para mim, não há diferença. Tomar cuidado de cada um deles é a mesma coisa. Quando você dá a mamadeira para eles é preciso certificar que eles não vão se engasgar. Quando eu estou trabalhando, eu verifico se ele não saiu da bolsa. Se há sol, eu o levo para tomar sol”, disse Martha, que trabalha na unidade neonatal do Centro de Recepção de Vida Selvagem de Bogotá.

Leia também:
África do Sul abre primeiro orfanato para rinocerontes
Filhotes de foca separados de mães ganham 'creche' na Holanda
Médico ajuda bebês elefantes órfãos a superar traumas
Gorilas órfãos ganham refúgio em plena selva do Congo
Cadela russa adota filhotes órfãos de tigre siberiano

Martha começou a trabalhar no centro em 2000. Lá ela já cuidou de espécies de pássaros, tartarugas e primatas. Agora seus cuidados estão voltados para um filhote de macaco da noite do gênero Aotus, que mora em florestas tropicais da Colômbia, Brasil e Equador.

“Eu carrego os filhotes comigo por alguns meses, ou pelo tempo que precisarem”, disse. O marido e a filha a ajudam com os cuidados da casa, enquanto ela está ocupada com o filhotinho.

Martha tem uma regra: nunca dar nome aos animais que cuida,  desta forma evita que eles se tornem animais de estimação. Já que o objetivo do centro, no longo prazo, é devolver os animais para a natureza.

Seu último filhote, um macaco da noite macho, de pelo preto e marrom e grandes olhos marrons chegou ao centro no dia 4 de fevereiro, pesando apenas 100 gramas. O animal foi trazido por um homem que afirmava tê-lo encontrado abandonado ao lado da estrada na província de Meta. O animal tinha apenas 5 dias de vida.

AP
Filhote órfão é tratado em centro em Bogotá

Biólogos do centro de Bogotá não sabem como o filhote ficou órfão, mas eles afirmam que a mãe pode ter sido morta ou perdido o filhote. Judith Cardenas, bióloga chefe do centro, disse que os macacos da região amazônica são caçados por causa da carne, ou para serem usados em experimentos ou ainda para virarem animais de estimação.

Martha tricotou a bolsa para carregar o macaquinho que ainda é muito novo para andar. Ela leva o filhote para o Centro em sua bicicleta. A cada três horas o macaco precisa de alimentar de leite sem lactose e com a adição de vitaminas dado em uma seringa. À noite, eles dormem juntos.

Quando ele crescer vai chegar a pesar 900 gramas e medir certa de 34 centímetros. Na natureza, macacos da noite adultos se alimentam de folhas, insetos, pequenos lagartos e sapos.

Judith explica que durante os primeiros anos de vida, os animais desta espécie vivem agarrados nas costas dos pais que vivem entre as árvores. Os órfãos, portanto precisam de uma mãe substituta, como Martha com sua bolsa de lã que permite o levar para tudo quanto é lado. A ideia de usar mães substitutas para filhotes órfãos de macacos tem sido usada também em outras partes do mundo.

Leia tudo sobre: animaismacaco da noiteprimatafilhote órfão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas