Pequim fecha fábricas e restringe carros, mas poluição continua alta

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Prefeitura retirou das ruas 30% da frota governamental de veículos e interditou 103 fábricas

Reuters

Reuters

AP
Homem usa máscara por causa da poluição na praça Tiananmen, em Pequim

A Prefeitura de Pequim interditou temporariamente 103 fábricas altamente poluidoras e retirou das ruas 30 por cento da frota governamental de veículos, disse a imprensa estatal na terça-feira. Apesar das medidas, a poluição atmosférica na capital chinesa continua em níveis perigosamente elevados.

Leia mais:
China avalia medidas de emergência para controlar poluição em Pequim
Poluição é a 'pior já registrada' em Pequim, diz Greenpeace
Poluição leva milhares a hospitais na China e desafia governo

Há cerca de dois meses a qualidade do ar fica nas categorias "muito insalubre" ou "nociva". Na terça-feira, um índice mantido pela embaixada dos EUA em Pequim chegou a 517, descrito pela embaixada como "além do índice".

É comum que a poluição por material particulado em Pequim supere 500 partes por milhão. Acima de 300, o índice é considerado nocivo, embora a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomende um nível diário não superior a 20.

Leia também:
Poluição deprime e reduz a capacidade de aprender
Poluição da Ásia afeta Estados Unidos e Canadá

Nasa
Imagem se satélite captada no dia 13 de janeiro mostra poluição sobre Pequim e a cidade de Tianjin

Neste mês de inverno a poluição em Pequim bateu um recorde, entre 30 e 45 vezes acima do limite aceitável, o que cobriu a cidade com uma espessa nuvem que paralisou voos e obrigou as pessoas a permanecerem em ambientes fechados.

Leia tudo sobre: chinapoluição

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas