Imagens mostram biólogos inserindo chips nos corpos das maiores arraias do mundo na costa do Sudão; espécie está ameaçada de extinção

BBC

BBC

As maiores arraias do mundo tiveram rastreadores inseridos em seus corpos, a fim de serem monitoradas, na primeira fase de um projeto de conservação, que está sendo realizado na região costeira do Sudão.

Arraias gigantes são consideradas uma espécie vulnerável pela União Internacional pela Conservação da Natureza.

O projeto contou com a participação de especialistas do aquário The Deep, em Hull, na Grã-Bretanha, e da equipe de exploradores da Equipe Costeau, do lendário explorador submarino francês Jacques Costeau.

Leia também:
Cientistas defendem reservas naturais oceânicas itinerantes
Pesquisadores 'instalam' GPS em tubarões em programa de preservação

Os peritos passaram quatro semanas implantando rastreadores nos corpos dos animais no Mar Vermelho.

O maior animal encontrado pela equipe media 3,61 metros de largura. Mas acredita-se que as arraias gigantes possam chegar a ter mais de 9 metros.

Tal qual seus ''parentes'', os tubarões, populações de arraias se desenvolvem rapidamente, o que faz delas animais particularmente vulneráveis.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.