Ministério Público investiga invasão de coral em Angra dos Reis-RJ

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo processo, espécie conhecida como coral sol foi introduzida na baía de Ilha Grande por meio de plataformas e sondas de petróleo

O Ministério Público Federal em Angra dos Reis instaurou um processo civil público para investigar a ocorrência de uma espécie invasora que está acabando com o coral em Angra dos Reis, no Rio. De acordo com o MPF, a espécie conhecida como coral sol foi introduzida na baía da Ilha Grande através de plataformas e sondas de petróleo e gás.

“Os coral das plataformas impregnadas têm sufocado o coral nativo da região, que está desaparecendo. A invasão do coral sol pode acabar com todos os recifes de corais brasileiros”, disse ao iG a procuradora da república em Angra dos Reis, Monique Cheker. A procuradora afirma que os potenciais pontos de introdução do coral sol na baía de Ilha Grande são o terminal da Petrobras (TEBIG) e o estaleiro BrasFELS, em Angra dos Reis.

Leia outras notícias sobre espécies invasoras:
Mosquito invasor ameaça ecossistema da Antártida
Degelo na Antártida e Groenlândia esta ocorrendo cada vez mais rápido
Cientistas encontram fósseis de pinguim gigante na Antártida
Cientistas descobrem bactérias vivendo em condições extremas na Antártida

A procuradora afirma que tanto Petrobras quanto o estaleiro já receberam o despacho de instauração de inquérito civil público e que o próximo passo é elaborar uma reunião pública para a “elaboração de uma proposta concreta para a extração do coral e para a instauração de  medidas preventivas”.

Segundo o Ministério Público, a invasão está afetando diretamente Arraial do Cabo, Armação dos Búzios, Rio de Janeiro, Mangaratiba, Angra dos Reis e Parati. Monique Cheker explica que na década de 80 houve uma inserção no território brasileiro desta espécie, acredita-se, por plataforma e sondas na baía de Campos que depois foram levadas à região da baía de Ilha Grande. “É um problema sério, mas ninguém dá atenção porque ninguém vê”, disse.

[Atualização] A Petrobras afirmou que até a manhã desta quarta-feira (16) não havia recebido o ofíco do MPF sobre o tema. 

Leia tudo sobre: petróleopetrobrasespécies invasoras

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas