Noruega libera mais US$ 178 mi para o Fundo Amazônia

Este é o segundo desembolso de recursos como parte do compromisso da Noruega de doar US$ 1 bilhão para a proteção das florestas brasileiras

Agência Estado |

Agência Estado

O governo da Noruega anunciou nesta quinta-feira (6), em reunião com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, a liberação de mais US$ 178 milhões (o equivalente a mais de R$ 370 milhões) para o Fundo Amazônia. Este é o segundo desembolso do país como parte do compromisso de doar US$ 1 bilhão para o Brasil para a proteção de florestas. Com esse repasse, já foram empenhados cerca de US$ 650 milhões.

Bard Vegar Solhjell, ministro do Meio Ambiente da Noruega, disse que o novo repasse se deu por conta da "impressionante redução do desmatamento da Amazônia em 2011". Segundo ele, "(a redução) representa uma gigante contribuição para a comunidade global em termos de redução das emissões de gases de efeito estufa". Também foi elogiada a disposição do Brasil de compartilhar a tecnologia de monitoramento e combate do desmatamento com outros países da Amazônia e que compõem a Bacia do Congo, a segunda maior floresta tropical do mundo.

Leia mais:
Promessas da União Europeia não rompem impasse na Conferência do Clima
Texto para segundo período de protocolo de Kyoto tem pontos indefinidos
Brasil propõe gatilho para elevar metas de Kyoto
Acompanhe a cobertura da COP 18 em Doha

A expectativa é que para meados do ano que vem, quando forem confirmadas as estatísticas deste ano, um novo repasse, ainda maior, deve ser feito, uma vez que ele é proporcional ao tamanho da redução do desmatamento - segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espacial (Inpe), na comparação com a taxa do ano passado, a queda foi de 27%.

Izabella afirmou que com essa nova verba será possível dar encaminhamento a 47 novos projetos do Fundo Amazônia. Além disso, diz, vai servir para ajudar na terceira fase do Programa de Combate ao Desmatamento (PPCDAm), e em ações de restauração da floresta desmatada.

O anúncio foi feito apenas alguns dias depois de os negociadores noruegueses na Conferência do Clima da ONU, que segue até o final da semana em Doha (Catar), terem pedido verificação externa das metas relacionadas à redução do desmatamento de países que têm floresta dentro do Redd. O Brasil, que tem um sistema interno de verificação com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e passa os resultados para checagem posterior da Convenção do Clima, foi contra. A liberação do repasse passou a sensação de que a questão foi superada. A repórter viaja a convite da Convenção do Clima da ONU (UNFCCC).

    Leia tudo sobre: cop18onumudanças climáticasaquecimento global

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG