Traficante de chifres de rinoceronte é condenado a 40 anos de prisão

Tailandês que vendia os chifres no mercado ilegal da tradicional medicina asiática foi condenado nesta sexta-feira (9), na África do Sul

AFP |

AFP

Getty Images
Mais valorizado que ouro: rinoceronte sem a chifre pasta em parque na África do Sul

Um traficante tailandês de chifres de rinoceronte que dirigia uma rede de exportação fraudulenta de chifres procedentes da caça ilegal foi condenado nesta sexta-feira (9) a 40 anos de prisão por um tribunal sul-africano, informou a agência EWN.

Chumlong Lemtongthai, 44 anos, vendia os chifres no mercado ilegal da tradicional medicina asiática.

A caça de rinocerontes é autorizada na África do Sul, mas a permissão concedida é difícil de se obter e está limitada aos caçadores afiliados a uma associação registrada.

Além disso, durante a caça, os caçadores devem ser acompanhados por guardas dos parques.

As exportações também são limitadas e controladas.

Leia também:
Caça ilegal matou 227 rinocerontes na África do Sul em 2012
Espécie de rinoceronte supostamente extinta é vista na Indonésia
África do Sul abre primeiro orfanato para rinocerontes

A dura condenação reflete a preocupação que existe na África do Sul pela explosão do tráfico de chifres de rinoceronte. Nos parques abertos a turistas, a caça ilegal virou uma atividade muito lucrativa e, entre janeiro e outubro deste ano, 488 rinocerontes foram mortos ilegalmente.

Os chifres são muito procurados pela medicina tradicional asiática por suas supostas propriedades curativas.

O chifre de rinoceronte é composto por queratina, como as unhas dos humanos, e não possui nenhuma propriedade medicinal reconhecida pela ciência.

    Leia tudo sobre: afsulecologiajustiça

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG