Estudo revela as causas da extinção das espécies pelo aquecimento global

Mudanças na interação entre as espécies são mais perigosas que o aumento das temperaturas

EFE |

EFE

Ao contrário do que se acreditava sobre o aquecimento global, raras foram as populações de animais e plantas que foram extintas apenas pelo aumento das temperaturas. Estudo da Universidade Stony Brook de Nova York que revisou 136 casos de espécies extintas mostrou que o aquecimento não é o fator da mudança climática que mais influencia a extinção local das espécies.

O aquecimento global altera o equilíbrio da natureza, o que, por sua vez, pode provocar o desaparecimento das espécies, mas não existe uma relação direta entre a elevação das temperaturas e a extinção local de seres vivos, explicou John Wiens, da Universidade Stony Brook de Nova York e autor do trabalho publicado no periódico científico "Proceedings of the Royal Society B".

Leia mais:
Mais de 400 espécies são incorporadas à lista de risco de extinção
Vinte e cinco primatas correm risco de extinção, aponta relatório
Sociedade britânica divulga lista das 100 espécies mais ameaçadas de extinção

Os pesquisadores afirmam que as mudanças climáticas podem influenciar mais frequentemente a extinção e declínios populacionais pela alteração nas interações das espécies, como por exemplo, reduzir a população de presas de um predador. “Estas mudanças de interações podem fazer com que pequenas mudanças do clima se tornem perigosas para a sobrevivência das espécies”, disse Wiens.

Veja também:
Mudança no padrão dos ventos aumenta taxa de reprodução do albatroz
Borboleta rara se beneficia das mudanças climáticas
Mudanças no clima estão diminuindo tamanho de animais e vegetais
Aquecimento global torna aves mais promíscuas

O pesquisador alerta para a falta de conhecimento sobre as causas das extinções. "Dúzias de estudos demonstraram que as extinções locais parecem estar associadas à mudança climática. Na maioria dos casos, a causa principal do declive no número de exemplares não foi identificada, o que ressalta quão limitado é nosso conhecimento neste tema crucial", afirmou Wiens.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG