Grande Barreira de Corais perdeu metade do tamanho em 27 anos

Ciclones tropicais, mudanças climáticas e espécie invasoras foram as principais causa da diminuição do coral

AFP |

AFP

AFP
Perda de cobertura de corais reduz o hábitat de milhares de espécies

A Grande Barreira de Corais da Austrália perdeu mais da metade de sua extensão nos últimos 27 anos como consequência das tempestades, da depredação provocada por estrelas do mar e do embranquecimento causado pelas mudanças climáticas, segundo um estudo divulgado nesta terça-feira.

Os arrecifes poderão continuar se deteriorando nas mesmas proporções até 2022 se nada for feito para proteger a Grande Barreira, advertem cientistas do Instituto Australiano de Ciências Marinhas e da Universidade de Wollongong, no estado de Nova Gales do Sul.

"A perda da metade da cobertura coralina original é uma fonte de enorme preocupação porque é sinônimo de perda de hábitat para dezenas de milhares de espécies" marinhas, avaliam os pesquisadores, que reuniram 2.258 estudos científicos feitos nas últimas três décadas sobre o tema.

AFP
Ciclones tropicais foram responsáveis por quase a metade da degradação da Grande Barreira

Os ciclones tropicais de forte intensidade -34 no total desde 1985- foram responsáveis por quase a metade (48%) da degradação da Grande Barreira, seguidos por uma espécie de estrela do mar, a Acanthaster planci , de tipo invasivo, chamada de "coroa-de-espinhos", que se alimenta de algas (42%).

Dois graves episódios de embranquecimento ocorreram em 1998 e em 2002, relacionados com o aumento da temperatura dos oceanos, e tiveram "um impacto nefasto de grande magnitude", em particular nas porções centrais e setentrionais do arrecife.

No entanto, um dos autores do estudo, Hugh Sweatman, afirma que a barreira tem a possibilidade de se reconstituir."Mas a reconstituição leva entre 10 e 20 anos. Atualmente, os intervalos entre os problemas são curtos demais para uma reconstituição completa", disse.

Classificada pela Unesco como patrimônio mundial, a Grande Barreira se estende por cerca de 345.000 quilômetros quadrados ao longo da costa australiana, e constitui o mais vasto conjunto coralino do mundo, com cerca de 3.000 sistemas e centenas de ilhas tropicais.

    Leia tudo sobre: austráliaciênciameioambientemar

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG