Veleiro navega por rota marítima antes congelada no Ártico

Embarcação com 9,4 metros navegou pelo estreito de McClure no Noroeste do Canadá. Expedição teve como objetivo de chamar a atenção para os efeitos das mudanças climáticas

AFP | - Atualizada às

AFP

Divulgação
Tripulantes do veleiro sueco Belzebub II viajam há três meses pela região

Uma expedição composta por três tripulantes navegou pela primeira vez na Passagem Noroeste, uma perigosa via marítima do Ártico, antes congelada e só acessível agora devido ao derretimento provocado pelo aquecimento global.

O veleiro sueco Belzebub II, com 9,4 metros, navegou pelo estreito de McClure, a rota marítima mais ao norte, nos limites dos Territórios do Noroeste do Canadá.

Entenda como ocorre o aquecimento global 

Os tripulantes, o americano Morgan Peissel, o canadense Nicolas Peissel e o proprietário do barco, o sueco Edvin Buregren, disseram ter sido a primeira vez que uma embarcação atravessou a passagem, com exceção dos barcos quebra-gelo.

Leia mais:
Degelo no Ártico pode redesenhar mapa geopolítico global
Acesso marítimo ao Ártico pode aumentar até 28% em 2050
Rússia apoia exploração de petróleo no Ártico
Gelo no Ártico pode desaparecer na segunda metade do século, diz analista
Perda de gelo no Ártico pode causar depósitos de mercúrio
Aquecimento global revive sonho de navegação pelo Ártico

Eles relataram a expedição de três meses de duração no site belzebub2.com .

A viagem começou em Newfoundland, no Canadá, seguiu para a Groenlândia, e através do Ártico canadense, buscando documentar o rápido recuo do gelo polar e provocar conscientização sobre os efeitos do aquecimento global.

"Ao navegar por esta rota recém aberta, esperamos que nossa expedição tenha um pequeno papel em chamar mais atenção para as mudanças climáticas e contribuir para uma mudança mais ampla de atitude", escreveram no site.

"O Ártico está derretendo a uma taxa alarmante e esta é a prova clara da nossa desarmonia com o planeta", acrescentaram.

"Nossa intenção de navegar por um histórico trecho marítimo que tradicionalmente costuma ser congelado foi dar um claro exemplo visual da extensão do recuo do gelo polar", emendaram.

A chegada do veleiro em Nome, Alasca, é aguardada para esta quarta-feira.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG