ONG propõe plataforma ambiental comum a candidatos eleitos

Fundação SOS Mata Atlântica lançou nesta terça-feira cartilha de ações para orientar prefeitos e vereadores eleitos a abordar a temática ambiental

Agência Brasil |

Agência Brasil

Os candidatos que se elegerem nas eleições municipais deste ano devem se engajar para desenvolver ações em defesa do meio ambiente ao longo de seus quatro anos de mandato. A proposta é da organização não governamental (ONG) Fundação SOS Mata Atlântica, que lançou hoje (20), no Rio, a Plataforma Ambiental aos Municípios 2012. O documento com 20 páginas, acessível pela internet, estrutura o assunto de forma prática, ajudando o candidato eleito, prefeito ou vereador, a abordar a temática ambiental.

Veja a cobertura completa das eleições 2012

O diretor de Políticas Públicas da ONG, Mario Mantovani, defendeu a iniciativa como forma de oferecer aos candidatos informações básicas para balizarem as futuras políticas socioambientais nos municípios. “Queremos mostrar que a questão ambiental é séria. A ideia é levar aos candidatos uma referência para que possam ver quais são os aspectos ambientais no município. E quem assinar essa plataforma, nós vamos estar cobrando”, disse Mantovani, que teve na plateia 16 candidatos a prefeito e a vereador.

Ele lembrou que o país foi recentemente sede da Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente Rio+20 , o que representa mais um incentivo à busca de práticas ambientalmente responsáveis. “Percebemos que o discurso ambiental está bastante presente nestas eleições. É bom que esse debate se popularize, e agora vamos fazer o refinamento, exercendo a cobrança para podermos avançar.”

Série do iG explica como o marketing político ‘encanta’ o eleitor 

Esta é a sexta vez que a SOS Mata Atlântica elabora um documento voltado aos políticos em época de eleição. O primeiro foi feito para as eleições presidenciais de 1989. Os assuntos contidos no documento se estruturam a partir de quatro eixos básicos: desenvolvimento sustentável, clima, educação e saúde, e saneamento básico.

Para acompanhar os políticos depois de eleitos, a ONG desenvolveu o Observatório Parlamentar, uma ferramenta que apura e publica informações sobre ações e projetos nos três níveis de governo, acessado pelo endereço www.observatorioparlamentar.org.br .

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG