Massa de rochas vulcânicas de 26 mil km² está à deriva no Pacífico

Parecendo um bloco polar, rochas vulcânicas do tamanho de bolas de golfe têm a extensão da Bélgica

AFP | - Atualizada às

AFP

AP
Massa de rochas vulcânicas no Oceano Pacífico, em foto tirada pela Força de Defesa da Nova Zelândia

Uma massa de rochas vulcânicas de 26 mil km² flutua à deriva no Oceano Pacífico, indicou nesta sexta-feira (10) um oficial da Marinha neozelandesa, acrescentando que é "a coisa mais rara" que já viu no mar.

São pedras-pomes leve proveniente de um vulcão submarino que, segundo testemunhas, se parece com um bloco de gelo polar da extensão da Bélgica.

Leia mais:
Vulcão submerso abala vida de habitantes em ilha da Espanha
Vulcão nas ilhas Canárias poderia provocar tsunami no Atlântico
Quais as maiores erupções da História?
Perguntas e respostas sobre vulcões e quais os vulcões mais ativos atualmente

Um avião militar neozelandês avistou as rochas na quinta-feira a cerca de 1.000 km da costa da Nova Zelândia.

AP
Força de Defesa da Nova Zelândia coletou algumas pedras da massa encontrada no Pacífico

"É a coisa mais rara que já vi em 18 anos no mar", declarou o tenente Tim Oscar, que considerou que a pedra-pomes, que é lava solidificada com bolhas, não constituía um perigo para sua embarcação.

Cientistas que se encontravam a bordo deste barco, o HMNZ Canterbury, asseguraram que o fenômeno não está relacionado com a intensificação da atividade vulcânica na Nova Zelândia nesta semana.

Na terça-feira, a erupção de cinzas de um vulcão adormecido há mais de um século perturbou seriamente o tráfego aéreo na Nova Zelândia e dezenas de aviões ficaram em terra, embora os voos internacionais não tenham sido afetados.

Segundo a Defesa Civil, a erupção não provocou rios de lava, mas uma nuvem de cinzas que chegava a 6.000 metros de altitude e que provocou o cancelamento de dezenas de voos internos.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG