Portugal diz que ações a partir da Rio+20 serão "determinantes"

O primeiro-ministro assinalou que, há 20 anos, na Cúpula da Terra realizada no Rio, conhecida como ECO-92, o mundo deu "um passo importante rumo a um desenvolvimento que integre plenamente o econômico e o social"

EFE |

EFE

O primeiro-ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho, afirmou nesta quinta-feira que as ações que o mundo tome a partir da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, Rio+20 , serão decisivas para o futuro do planeta. "Nossas decisões e, sobretudo, nossas ações, serão determinantes", declarou Passos Coelho ao pronunciar seu discurso na terceira sessão plenária da cúpula.

Veja a cobertura completa da Rio+20

O primeiro-ministro assinalou que, há 20 anos, na Cúpula da Terra realizada no Rio e conhecida como ECO-92, o mundo deu "um passo importante rumo a um desenvolvimento que integre plenamente o econômico e o social" e que é hora de continuar por esse caminho. "Tal como em 1992, nossos povos esperam que sigamos com coragem e determinação em direção ao desenvolvimento sustentável", manifestou perante o plenário da cúpula da qual participam cerca de uma centena de chefes de Estado e de governo.

O primeiro-ministro português elogiou o empenho do Brasil para conseguir a aprovação do documento final da cúpula, que, espera-se, seja ratificado amanhã pelos líderes porque, disse, "representa outro passo determinante de nossa caminhada rumo ao desenvolvimento sustentável".

Passos Coelho destacou ainda as iniciativas tomadas por Portugal nesse sentido e citou como exemplo que cerca de 50% da energia consumida em seu país provém de fontes renováveis. Da mesma forma, assinalou que há várias empresas lusas entre os líderes mundiais em matéria de eco-eficiência e eco-inovação.

    Leia tudo sobre: RIO+20Rio20

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG