Wen Jiabao demonstrou estar alinhado com discurso do Brasil e anunciou a doação de R$ 12 milhões

Wen Jiabao, primeiro-ministro da China, discursou na tarde desta quarta-feira (20), primeiro dia de plenária no segmento de alto nível da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, no Riocentro. Em dez minutos, Jiabao demonstrou pensamento afinado com o que o Brasil já tinha levantado nas discussões prévias da Rio+20.  Jiabao também anunciou o aporte de US$ 6 milhões (cerca de R$ 12 milhões) para um fundo de financiamento de programas de proteção do meio ambiente em países em desenvolvimento. Ao falar do compromisso com o desenvolvimento sustentável em momento de crise global, Jiabao sugeriu que nenhum país está imune aos seus efeitos: "não há continente ou oásis a ser descoberto". 

Saiba tudo sobre a Rio+20

O primeiro-ministro defendeu o combate à miséria. “É preciso dominar as crises financeiras, as mudanças climáticas, observar a questão da segurança alimentar, preservar a sustentabilidade que nos precisamos. Olhemos para o futuro, sem pressão ou discriminação, sem exploração humana, ou destruição de áreas nativas do planeta. As pessoas precisam prosperar com desenvolvimento junto à Mãe Terra. A diferença entre o norte e o sul ainda é grande. Temos que implementar a sustentabilidade em estratégias básicas com condições de continuar priorizando a erradicação da pobreza. Diversidade é a definição para se falar de países, culturas, histórias”, disse.

O chinês falou ainda a respeito da promoção da economia verde no planeta. “Vamos promover a economia verde. Nós queremos avançar em ciência, tecnologia e criatividade. Transferência de tecnologia associada com a economia verde é um caminho para a maior igualdade entre pessoas e povos. Quanto mais a China se desenvolve, mais ela contribui para o mundo. Eu desejo que essa capacidade de contribuição ajude outros países também, incluindo os países menores e ainda os africanos. Nós vamos trabalhar para criar oportunidades para isso. Escrevendo um novo capítulo no desenvolvimento mundial”, encerrou.

(Com informações da Agência Estado)


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.