"Queriam tirar sua carteira com dinheiro e você conseguiu segurar. Não é bom?"

Itamaraty considera que, à frente das negociações, país conseguiu evitar retrocesso e perda de recursos dos ricos em relação à Rio 92

Raphael Gomide iG Rio de Janeiro | - Atualizada às

O Brasil avalia como positivo o documento da Rio+20 para países em desenvolvimento. A análise do Itamaraty é que os ricos pretendiam retroceder e revogar alguns dos princípios obtidos na Rio 92, especialmente no que diz respeito à manutenção das responsabilidades comuns, mas diferenciadas e ao financiamento de ações para o desenvolvimento sustentável. Em suma, dinheiro.

Leia também:
Brasil reconhece que crise econômica prejudicou documento da Rio+20
Dilma diz que aprovação de texto-base da Rio+20 é uma vitória do Brasil
Para ONU, "todo mundo ficou um pouco infeliz"
EUA vencem queda de braço e estão satisfeitos com texto da Rio+20

"Queriam tirar a sua carteira com dinheiro e você conseguiu mantê-los. Não é bom?", comparou um diplomata de alto nível do Brasil antes da abertura oficial da conferência, no plenário onde estão discursando neste momento os chefes de Estado.

No Itamaraty, o País também avalia que a questão relativa a transferência de tecnologia também avançou, assim como foi positivo o fortalecimento e o upgrade do Pnuma (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente).

A posição brasileira era justamente a de fortalecer o órgão, sediado em Nairóbi (Quênia) e não elevar seu status.

    Leia tudo sobre: rio20rio+20documento final

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG