ONG reproduz favela na Praia de Copacabana para denunciar pobreza

Favela fictícia foi montada para "dar visibilidade aos invisíveis" durante a Rio+20

EFE |

EFE

Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
Favela fictícia foi montada pela ONG Rio de Paz para "dar visibilidade aos invisíveis"

A organização não-governamental Rio de Paz instalou neste sábado (16) em plena Praia de Copacabana, na zona sul do Rio, uma favela fictícia para "dar visibilidade aos invisíveis" durante a Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável ( Rio+20 ) e pedir que os governantes não se esqueçam dos pobres. A favela era composta por três barracos de madeira, simulando a triste realidade dos moradores de comunidades pobres do Rio.

Confira o especial do iG sobre a conferência Rio+20

Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
Manifesto em Copacabana visa combater a desigualdade social, a fome e a miséria

O presidente da Rio de Paz, Antônio Carlos Costa, disse à agência EFE que espera que a Rio+20 apresente "metas concretas de sustentabilidade e de combate à desigualdade social". Além dos barracos, alguns moradores da favela de Manguinhos estiveram nas areias de Copacabana para representar como é o dia a dia nos bairros pobres de Rio.

Verônica, mãe solteira de quatro crianças, afirmou que suas principais preocupações são a falta de transporte, de apoio social por parte das autoridades e as operações da polícia contra os traficantes.

"Há dias que meus filhos não podem ir à escola. Os policias entram em nossas casas de maneira grosseira, sem pedir permissão ou respeitar nossa intimidade", declarou Verônica à EFE. A ONG Rio de Paz também construiu um túmulo para denunciar os mortos por balas perdidas nas operações policiais e um encanamento que simbolizava a sujeira dessas áreas degradadas.

    Leia tudo sobre: manifestorio de pazrio20rio+20praia de copacabana

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG