Para secretário, Rio+20 será impulso a avanços futuros

Carlos Marcio Cozendey afirmou, em seminário no Rio, que conferência será "ponto de partida" e que metas não deverão ser fechadas no documento final

Agência Estado |

Agência Estado

A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20 , deve ser tratada como um "ponto de partida" para avanços futuros, disse nesta segunda-feira (11) o secretário de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda, Carlos Marcio Cozendey, em seminário no Rio de Janeiro.

"Vamos ter um documento intergovernamental grande e prolixo", afirmou Cozendey, destacando que pontos importantes, como as metas do desenvolvimento sustentável, "são quase certos" no documento final, mas não deverão ser fechados na conferência que começa nesta quarta-feira, 13, no Rio.

O Brasil tem uma posição privilegiada para colocar em prática o desenvolvimento sustentável em suas três dimensões, a econômica, a ambiental e a social, de forma integrada, ainda segundo o secretário de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda. Uma matriz energética com grande participação de fontes renováveis, a redução do desmatamento e a experiência de usar a inclusão social como motor do crescimento econômico seriam exemplo disso.

Veja a cobertura completa sobre a conferência Rio+20 , que acontece em junho

"O Brasil tem posição favorável para trabalhar os três pilares, superando o conflito entre meio ambiente e crescimento", disse Cozendey durante o seminário.

    Leia tudo sobre: rio+20rio20

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG