Dilma exalta compromisso ecológico brasileiro

Presidenta afirmou, em programa de rádio, que taxas de desmatamento na região amazônica continuam caindo de forma sustentada

EFE |

EFE

 Às vésperas da Conferência das Nações Unidas Sobre Desenvolvimento Sustentável Rio+20 , a presidenta Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira (11) que o Brasil "tem o privilégio de abrigar a maior área de florestas do mundo" e pode "se sentir orgulhoso pelo esforço que faz para protegê-las".

A fase preparatória da Rio+20, que será realizada duas décadas depois da Cúpula da Terra (Eco92), começa nesta quarta-feira (13) no Rio de Janeiro e já com a intenção de promover um debate global sobre a necessidade de adotar novos modelos produtivos e econômicos que contemplem a proteção ambiental. Entre os dias 20 e 22 de junho, a fase final da reunião deverá contar com delegações de 180 países, sendo que a maioria estará representada por seus chefes de Estado e de Governo.

Leia mais: Desmatamento da Amazônia é o menor da história, diz ministra

Nesta segunda, em seu programa de rádio, Dilma comentou os dados divulgados na última semana, os quais evidenciam que as taxas de desmatamento na região amazônica continuam caindo de forma sustentada. Segundo a presidente, essa redução é uma consequência direta da "forte ação do governo" na fiscalização dos crimes ambientais e na promoção de políticas de desenvolvimento menos agressivas com o ecossistema.

"Temos oferecido alternativas de produção e renda para a população que vive em nossas florestas, para que esses trabalhadores possam produzir e garantir o seu sustento sem desmatar ou destruir o meio ambiente", apontou. Entre outros planos citados, a presidente se referiu especificamente ao chamado "Bolsa Verde", um programa social em que o governo oferece um beneficio de R$ 300, pagos a cada três meses, para as famílias de pequenos agricultores da região amazônica que assumirem o compromisso de não desmatar novas áreas.

Veja a cobertura completa sobre a conferência Rio+20 , que acontece em junho

Neste contexto, Dilma insistiu que o Brasil preservou "cerca de 80% da região amazônica" e comparou os dados alcançados com os ostentados pela Europa, continente que, segundo Dilma, só conserva cerca de 10% de seus ecossistemas originais. De acordo com a presidenta, o Brasil já começou a desenhar e aplicar um novo modelo de desenvolvimento sustentável, que visa o crescimento econômico com inclusão social e preservação ambiental. "Isso é o que vamos apresentar durante a conferência Rio+20", afirmou a presidenta Dilma Rousseff.

    Leia tudo sobre: RIO+20rio20

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG