Conferências prévias à Rio+20 começam com críticas ao consumismo

TEDxRio+20, que acontece no Forte de Copacabana, apresentou também soluções inovadoras para a geração de energia limpa

EFE |

EFE

 As atividades prévias à Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável Rio+20 começaram nesta segunda-feira com duras críticas ao consumismo, por representar uma ameaça ao equilíbrio ambiental do planeta.

Acompanhe a cobertura completa da Rio+20

Vários especialistas e acadêmicos assinalaram o consumo desenfreado como um dos maiores perigos para a sustentabilidade, durante o primeiro jornada da TEDxRio+20 , realizada no Forte de Copacabana como aperitivo do evento principal.

A conferência da ONU reunirá cerca de uma centena de chefes de Estado ou de governo e delegações de pelo menos 176 países entre os próximos dias 20 e 22 de junho. A ex-senadora Marina Silva foi uma das conferentes mais enfáticas no discurso contra o consumismo, ao denunciar que a "sede de consumir" e a separação da ética da política conduzem a sociedade a "exterminar o futuro".

Leia também:
Museus cariocas entram no clima da Rio+20
Evento paralelo à Rio+20 vai avaliar poder humano de destruir e construir
Aterro recebe estruturas da Cúpula dos Povos no Rio
Assista a um trecho do documentário "Amazônia Eterna"

"Estamos sofrendo do mal do excesso, estamos consumindo o planeta. Temos muito pouco tempo e uma vida dedicada ao ter em vez do ser. Estamos à beira de aumentar em dois graus a temperatura e comprometer a vida na terra. Precisamos nos reencontrar", declarou a ex-ministra do Meio Ambiente.

Marina Silva sustentou que a crise de valores levou a sociedade a "sacrificar" recursos naturais com milhares de anos em virtude do "lucro de umas poucas décadas". A ecologista, que foi amplamente aplaudida por centenas de pessoas, pediu aos brasileiros que "exijam dos líderes mundiais que não se omitam a salvar o planeta" durante a Rio+20.

Além disso, especificou que cada indivíduo deve ser ativo para colocar-se na "posição incômoda" de acreditar no desenvolvimento sustentável e de criar condições para transformá-lo em realidade.

Já o presidente do Instituto Akatu pelo Consumo Consciente, Hélio Mattar, sustentou que a difusão de práticas consumistas fará com que em poucos anos sejam necessários "quatro planetas" para atender nossas necessidades. Mattar analisou que o consumo se baseia na necessidade constante por produtos, o que conduz à "insatisfação permanente", e por isso defendeu a adoção de um modelo baseado na "humanização das relações" e na generosidade.

A TEDx também serviu de vitrine para iniciativas relacionadas com o desenvolvimento sustentável, especialmente na geração de energia limpa em pequena escala. A americana Jessica Matthews apresentou uma bola de futebol que gera eletricidade aproveitando a energia cinética produzida em uma partida, que foi desenvolvida por ela e outros três estudantes da Universidade de Harvard. Um jogo de 30 minutos com a bola chamada "soccket" proporciona três horas de carga elétrica para uma lâmpada LED e outros dispositivos de pouca potência energética.

Conheça os diferentes tipos de energias alternativas no infográfico do iG

Enquanto isso, o brasileiro João Lammoglia mostrou uma pequena máscara que gera eletricidade com a energia eólica produzida com a respiração, com a qual se pode alimentar um telefone celular. A TEDx, que reúne até amanhã 29 palestrantes, é uma das primeiras atividades paralela à Rio+20, que começa oficialmente nesta quarta-feira com as últimas reuniões preparatórias para a cúpula da semana que vem.

    Leia tudo sobre: RIO+20rio20tedx

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG