Promoções tornam energia solar uma alternativa para lares americanos

Número de instalações residenciais e comerciais duplicou nos últimos dois anos nos EUA

The New York Times |

Marc Steiner/The New York Times
Equipe instala placas de captação de energia solar no telhado de uma casa
Jay Nuzzi, um policial de Nova Jersey, havia desistido de instalar painéis solares em sua casa por causa do custo: quase US$ 70.000 dólares (cerca de 136 mil reais). Então, em uma ida para a loja de departamentos Home Depot, ele se deparou com um oferta de painéis solares a um preço qu não ele não teria como recusar: grátis.

Nuzzi teve que assinar um contrato de 20 anos prometendo comprar a eletricidade gerada pelos painéis solares dos quais ele não será dono. Mas o preço ficará muito abaixo do que ele costumava pagar para a fornecedora de energia de sua cidade.

"O proprietário não tem nenhum gasto, por isso é uma oferta impossível de se recusar” disse Nuzzi enquanto uma equipe montava 41 painéis no telhado de sua casa. "Eu não precisei pensar muito a respeito".

Leia também:
Energia solar ajuda a manter cultivo de uvas no deserto do Atacama
Navio movido a energia solar atravessa mar da China
Infográfico: as alternativas da energia
Energia solar cresceu 75% em 2010 na Alemanha

Acordos semelhantes estão sendo feitos entre milhares de outros proprietários de imóveis e empresas em todo o país.

Os instaladores, que geralmente trabalham em grandes lojas de departamentos como a Home Depot ou a Lowe, estão aproveitando os incentivos fiscais, as possibilidades de financiamento e uma superabundância de painéis baratos feitos na China que pela primeira vez ajudam a tornar a energia solar acessível para o mercado de massa.

O número de instalações residenciais e comerciais duplicou nos últimos dois anos, chegando a 213.957, de acordo com a Greentech Media, uma empresa de pesquisa do setor.

As principais empresas no negócio de instalação, como a Sunrun, a SolarCity e a Sungevity, estão prosperando mesmo enquanto um outro setor da indústria - o dos fabricantes de painéis solares – tenha sido superado pela concorrência feroz dos fabricantes chineses.

Grandes corporações como Google, U.S. Bancorp, Morgan Stanley e Bank of America Merrill Lynch veem o potencial de lucros estáveis em projetos solares e têm ajudado a fornecer o capital necessário para ajudar a cobrir os custos iniciais, que normalmente chegam a cerca de US$ 30.000 (cerca de 58 mil reais) ou mais para uma única família.

Os investidores afirmam acreditar que os retornos, geralmente entre 7% e 13%, são relativamente seguros porque as empresas provedoras de energia solar geralmente registrar apenas proprietários e empresas com crédito sólido. Além disso, os instaladores dizem que as pessoas tendem a pagar suas contas de energia elétrica mesmo quando enfrentam problemas financeiros.

Alguns analistas alertam que apesar de toda a atividade, o setor ainda enfrenta obstáculos, como os altos custos para atrair novos clientes e obter financiamento.

"Ainda não ficou claro para mim se alguém já descobriu a forma de dimensionar este negócio de uma maneira concreta", disse Dickon Pinner, co-autor de um relatório recente da McKinsey a respeito da indústria.

Por Diane Cardwell

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG