Patriota se diz preocupado com preços de hotéis para Rio+20

Ministro das Relações Exteriores diz que falta de quartos não pode prejudicar conferência da ONU em junho

Reuters |

AE
O Ministro das Relações Exteriores Antonio Patriota fala sobre Rio+20 durante audiência no Senado
O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, afirmou nesta quinta-feira que há uma preocupação sobre os altos preços cobrados por hotéis do Rio de Janeiro para reservas durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20 , que será realizada em junho na cidade.

A escassez na rede hoteleira carioca tornou praticamente impossível para qualquer pessoa que não seja de uma delegação oficial se hospedar na cidade durante a conferência, já que o Itamaraty, responsável pela logística da Rio+20, bloqueou 80 por cento dos quartos.

Leia também:
Preços de hotéis levam delegações européias a encolher 30%
Mais de 100 chefes de estado devem discursar na Rio+20
Campanha incentivará cariocas a hospedar participantes da Rio+20

"Esse é um assunto que nos preocupa atualmente. Nós queremos que a Rio+20 seja inclusiva. Os preços estão muito elevados", disse o ministro a jornalistas, após participar de audiência pública em comissão do Senado sobre os preparativos para a Rio+20, que acontece de 20 a 22 de junho.

Veja toda a cobertura da Rio+20

Integrantes da Comissão de Relações Exteriores do Senado, que ouviram o ministro, aprovaram um requerimento do senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC) para que seja enviado um ofício ao prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, pedindo que o prefeito negocie com a rede hoteleira uma redução nos preços das diárias durante a Rio+20 ou tente aprovar na Câmara Municipal um subsídio governamental para custear parte dessas despesas.

Por conta dos custos elevados, delegações estrangeiras já anunciaram a redução de sua presença na conferência. O Parlamento Europeu , por exemplo, cortou sua delegação de 11 integrantes para apenas 1.

"A ausência do Parlamento europeu e de outras autoridades será danosa, será prejudicial ao evento", disse o senador Luiz Henrique.

Pesquisa em um site de comparação de preços de hotéis nesta quinta-feira mostrou que apenas 1 de 135 hotéis com pelo menos três estrelas tinha quartos disponíveis na cidade nos dias da conferência. Não havia qualquer hotel nos principais bairros turísticos com disponibilidade.

Na semana passada, um único hotel com quartos livres na praia de Copacabana para o período da Rio+20 estava cobrando 2.263 reais pela diária. O preço caia para 431 reais na semana seguinte ao evento.

A taxa total de ocupação vai superar os 95 por cento durante o evento, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio de Janeiro (ABIH-RJ).

De acordo com Patriota, o governo já tem um número "elevado" de participantes com presença confirmada apesar dos preços.

"A um mês e meio mais ou menos do evento, já temos mais de cem confirmações e esperamos que a situação dos hotéis se resolva de uma maneira que permita ampliar o número de participantes", afirmou.

O presidente eleito da França, François Hollande, que toma posse no dia 15 de maio, e o recém-empossado líder da Rússia, Vladimir Putin, confirmaram à presidente Dilma Rousseff na quarta-feira que virão ao Brasil para a Rio+20.

    Leia tudo sobre: rio+20conferêncianegociaçõesrio20hoteis

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG