Meditação ajuda a eliminar ruídos sem fones de ouvido

Prática altera ondas cerebrais e também pode ser útil no controle da dor

The New York Times |

Estudos revelaram que a meditação ajuda a evitar a recorrência de depressão, talvez com a produção de alterações em partes do cérebro associadas ao aprendizado e à ansiedade. Um novo estudo sugere que a meditação pode modular as ondas cerebrais denominadas ritmos alfa, que ajudam a regular a transmissão de informações sensoriais do ambiente ao redor.

Pesquisadores de Harvard submeteram aleatoriamente 12 adultos saudáveis a um curso de oito semanas de treinamento para redução de estresse baseada em meditação ou a um grupo de controle cujos participantes não meditavam.

Em intervalos regulares, os pesquisadores usavam uma técnica de geração de imagens denominada magnetoencefalografia, para mensurar as correntes elétricas em uma região do cérebro que processa sinais da mão esquerda.

Durante os testes, todos os participantes foram solicitados a direcionar sua atenção para sua mão ou pé esquerdos.

Após oito semanas, os exames cerebrais revelaram que os ritmos alfa mudavam mais rapidamente e de forma mais pronunciada em participantes que meditavam.

“Se você estiver lendo algo em um ambiente barulhento e desejar ficar em uma bolha, deverá usar seus ritmos alfa como um botão de volume, para reduzir o volume dos neurônios que representam o som do mundo externo”, afirma Catherine E. Kerr, neurocientista da Faculdade de Medicina de Harvard e coautora do relatório, publicado em abril no jornal Brain Research Bulletin. “Fazemos isso até certo ponto, mas o fato é que os meditadores são bem mais habilidosos nessa questão”.

    Leia tudo sobre: mediataçãoruídosdor

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG