Marsupial gigante de 50 mil anos é descoberto na Austrália

Restos do animal revelam que ele media três metros de comprimentos, muito maior que marsupiais dos dias de hoje

EFE |

Uma equipe de paleontólogos descobriu em uma remota região do norte da Austrália os restos de um diprotodonte, um marsupial gigante que povoou o planeta há pelos menos 50 mil anos, informou nesta segunda-feira (4) a imprensa local.

"O que vimos são os restos do maior marsupial que habitou o planeta, um animal que pesava  três toneladas  e que passeou por estas terras entre 50 mil a dois milhões de anos atrás", disse Michael Archer, um de seus descobridores, à emissora local "ABC".

A equipe do professor Archer desenterrou os restos do também chamado "wombat gigante" na remota localidade de Bruketown, situado no estado australiano de Queensland.

O diprotodonte era um marsupial da era do Pleistoceno que caminhava em quatro patas e se parecia aparentemente ao wombat, embora tivesse tamanho de um rinoceronte ou um hipopótamo.

Estes animais de três metros de comprimento e dois de altura tinham um par de incisivos salientes, mas eram herbívoros e habitavam nas florestas abertas e semiáridos planos da Austrália.

Com o achado, os paleontólogos acreditam que poderão armar o esqueleto mais completo de um diprotodonte.

"Os ossos não estão necessariamente na posição correta, mas provavelmente todo o esqueleto está neste local onde provavelmente caiu há 50.000 anos", disse o professor Archer.

    Leia tudo sobre: paleontologiaaustrália

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG