Mamíferos explodiram de tamanho após a extinção dos dinossauros

Principal motivo foi a diversificação das espécies para ocupar o nicho ecológico deixado vago por eles, afirma estudo americano

Alessandro Greco, especial para o iG |

IMPPS
Os maiores mamíferos terrestres que já viveram sobre a Terra, o Indricotherium e o Deinotherium, eram maiores que o elefante africano e pesavam 15 e 17 toneladas
Houve um tempo em que os mamíferos não passavam de pequenos animais com, no máximo, 15 quilos, e andavam humildemente sobre a Terra. Mas há cerca de 65 milhões de anos o tamanho deles explodiu e o responsável não foi nenhuma habilidade específica, mas a extinção dos dinossauros. Esta é a história nua e crua de como os mamíferos passaram a dominar o mundo segundo estudo publicado nesta quinta-feira pela revista Science.

Os pesquisadores, liderados por Felisa Smith, da Universidade de Albuquerque, nos Estados Unidos, analisaram dados de fósseis de mamíferos terrestres de todos os continentes ao longo de sua história evolutiva. “Fizemos duas grandes descobertas em nosso estudo. Primeiro que a curva do tamanho máximo do corpo (..) é quase exponencial após a extinção dos dinossauros e durou por quase 20 milhões de anos. Depois houve um platô que começou há cerca de 42 milhões de anos no qual o tamanho flutuou, mas ficou razoavelmente constante. Segundo, os padrões foram semelhantes em cada continente. Esta última observação sugere que houve restrições universais na evolução dos mamíferos”, afirmou Felisa ao iG .

A curva de aumento do corpo dos mamíferos parece ter sido resultado dos nichos ecológicos deixados vagos pela extinção dos dinossauros, segundo os pesquisadores. Mas o tamanho se estabilizou num limite máximo por conta de dois fatores básicos: temperatura e espaço físico. “A temperatura provavelmente restringiu o crescimento dos mamíferos por conta do problema da 'carga de calor' nos animais maiores. Se fica muito quente eles não conseguem se livrar do excesso de calor, e para os mamíferos é muito importante manter a temperatura do corpo constante. No caso do espaço físico foi a questão da busca por energia e comida,” explica Felisa. Ou seja: independente do local, houve uma mesma regra que regeu o crescimento (extinção dos dinossauros e subsequente preenchimento dos nichos ecológicos deixados por eles) e estabilização do tamanho dos mamíferos (temperatura e espaço físico).

    Leia tudo sobre: mamíferostamanhoextinção dinossauros

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG