Lixo espacial passou a 250 metros da ISS

Tripulantes da Estação Espacial Internacional se refugiaram nas naves Soyuz

AFP |

A tripulação da Estação Espacial Internacional teve que se refugiar nas naves Soyuz , nesta terça-feira (28), devido a detritos orbitais que ameaçavam a ISS e que passaram a apenas 250 metros, indicou a agência russa Interfax.

"Detritos espaciais foram detectados muito tarde para que a estação pudesse efetuar uma manobra de desvio. Os seis membros da tripulação receberam a ordem de entrar nas naves Soyouz", indicou uma fonte do programa espacial russo às 12h00 GMT (09h00 de Brasília), citada pela Interfax.

Pouco depois, a mesma fonte anunciou que o perigo tinha passado, indicando que um detrito não identificado havia passado muito perto da instalação espacial.

"A tripulação foi informada que um detrito espacial havia passado ao lado da estação e que pode deixar as naves Soyouz", indicou, acrescentando que o detrito tinha passado a somente 250 metros da ISS.

Nenhuma confirmação oficial do incidente foi obtida até o momento. Uma porta-voz do centro de controle russo de voos espaciais (TSOuP) indicou à AFP que não pode "confirmar ou negar esta informação".

Segundo ela, quando a ISS é ameaçada por detritos orbitais, a tripulação recebe a ordem de entrar em cápsulas de segurança para que possam deixar a estação se necessário.

"Trata-se de um procedimento normal para deixar a estação se necessário. Não é um procedimento extraordinário. Eles (os cosmonautas) têm instruções permanentes nesse sentido", explicou a porta-voz.

Em caso de impacto, a ISS pode sofrer uma despressurização, o que condenaria sua tripulação.

Três russos - Andrei Borissenko, Alexandre Samokoutaev e Serguei Volkov -, dois americanos - Roland Garan, Michael Fossum - e um japonês, Satoshi Furukawa, fazem parte atualmente da equipe da 28ª missão permanente na plataforma orbital.

Em março de 2009, a tripulação da ISS se refugiou a bordo de uma nave Soyouz quando um detrito ameaçou a estação. Dez minutos depois, a Nasa anunciou que não havia mais perigo.

Na época, os cientistas alertaram que esses incidentes iriam aumentar devido à quantidade de lixo espacial cada vez maior.

Além de satélites abandonados e de alguns outros objetos grandes, os especialistas estimam que cerca de 300.000 detritos de 1 a 10 cm e bilhões de objetos menores gravitem em torno da Terra.

Cerca de 18.000 desses objetos são monitorados por radares americanos, pois são considerados muito perigosos para as naves e para a própria ISS por se deslocarem a velocidades de dezenas de milhares de km/h.

Esta vigilância não impediu uma colisão no dia 10 de fevereiro de 2009 entre um satélite militar russo e um satélite comercial americano. De acordo com especialistas, foi a primeira vez que um incidente desse tipo foi registrado.

    Leia tudo sobre: RÚSSIA ESPAÇO

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG