Livro traz um agradável olhar sobre os elementos químicos

Autor explica como cada elemento foi descoberto e como eles vêm sendo usados pela humanidade

iG São Paulo |

AP
Livro de Aldersey-Williams (ainda sem tradução para o português) conta histórias que vão além da tabela periódica
Algumas pessoas colecionam moedas ou selos. Outras guardam figurinhas de álbuns da Copa. Hugh Aldersey-Williams coleciona as bases do universo.

Aldersey-Williams tentou reunir amostras puras de todos os elementos conhecidos - do comum ao raro, do inerte até o letal. Sua missão nasceu de um simples desejo: ver e sentir os elementos que pareciam existir apenas como abreviações da tabela periódica.

O sentimentalismo científico do escritor pode parecer incomum, mas ele não só fez isto como também dividiu esta paixão em seu último livro, o agradável "Periodic Tales: A Cultural History of the Elements, From Arsenic to Zinc" (ainda sem tradução em português).

Poucas pessoas se preocuparam com elementos químicos fora da aula de química, embora cada um dos elementos tenha uma história interessante que merece ser contada. A corrida ao ouro levou algumas culturas a explorar o mundo, enquanto outras culturas o consideravam inútil. A platina é tão abundante quanto o ouro, mas é mais valiosa, por causa da demanda criada artificialmente. Já o cloro mudou a maneira das nações de guerrearem.

Neste contexto, os elementos são surpreendentemente fascinantes. Aldersey-Williams escreve sobre como cada um deles foi descoberto, explica como cada um vem sendo usado pela humanidade ao longo da história e descreve também as mudanças que eles provocaram.

Os pequenos textos são interessantes. O único inconveniente é a quantidade de textos - com mais de 100 elementos, é difícil manter a leitura do livro linear. Mas Aldersey-Williams facilita a viagem do leitor pela tabela periódica, ao evitar a linguagem complexa. Não é necessária uma forte formação científica para apreciar as histórias.

Uma série de exemplos interessantes surge ao longo do livro. Como o fato de que a descoberta de novos elementos quase sempre capturava a imaginação do público num primeiro momento. As pessoas facilmente se convenciam de o novo elemento tinha benefícios terapêuticos e empreendedores rapidamente tentavam ganhar dinheiro adicionando o novo elemento – ou pelo menos o nome dele – a seus produtos.

Com o passar do tempo, conforme cientistas começavam a descobrir os efeitos colaterais dos novos elementos, a composição dos produtos deixava de ter os elementos e a empolgação com seus nomes diminuía.

A paixão do autor pelo assunto é, evidentemente, a melhor parte do livro. Como, por exemplo, quando Aldersey-Williams tentou reproduzir um experimento após ter lido sobre o alquimista que conseguiu extrair fósforo levemente incandescente da urina humana. Não é sempre que a história da urina é cativante.

"Periodic Tales" é um livro relativamente rápido de ler. As histórias podem não ajudar com a prova de química da escola, mas certamente vão contribuir para a apreciação destes elementos, que estão por toda a parte e são facilmente ignorados.

(Com informações da AP)

    Leia tudo sobre: livroelementos químicostabela periódicaquímica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG