Religioso defendia a devolução dos quase 50 corpos retirados do local por arqueólogos de universidade britânica. Veja o vídeo

selo

O líder druida King Arthur Pendragon perdeu nesta terça-feira seu processo na Justiça britânica contra arqueólogos da Universidade de Sheffield.

Ele queria que os cientistas devolvessem restos mortais de quase 50 corpos, exumados em 2008 e datados de cerca de 5 mil anos.

O ex-militar, que trocou legalmente seu nome, defende que os corpos permaneçam onde foram enterrados e diz temer que eles nunca sejam retornados.

Os estudiosos vão poder estudar os restos até o ano de 2015.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.