Lágrimas femininas diminuem excitação masculina, diz estudo

Segundo pesquisadores, a lágrima da mulher contém substância que diminui testosterona no sexo oposto

Cristina Caldas, especial para o iG |

Getty Images
Inalar lágrimas femininas diminuiu a excitação sexual e testosterona em voluntários de estudo
Homens que cheiraram lágrimas femininas apresentaram uma redução da atração sexual, diminuição da excitação e queda nos níveis de testosterona, segundo estudo divulgado nesta quinta-feira (6). Além disso, inalar lágrimas coletadas das mulheres fez com que as atividades de áreas do cérebro masculinos relacionadas à excitação diminuíssem suas atividades. O trabalho foi publicado pela revista especializada Science e foi liderado por Noam Sobel, do Instituto de Ciência Weizmann, de Israel.

Os pesquisadores escrevem no trabalho que já se sabia que lágrimas de camundongos serviam como sinalizadores químicos e se interessaram em saber se o mesmo era verdade para humanos.

No estudo, voluntárias assistiram sozinhas a filmes tristes e coletaram suas lágrimas com a ajuda de um espelho. Uma doação típica continha em média 1 ml de lágrima chamada emocional, para diferenciar da lágrima funcional, produzida, por exemplo, quando os olhos estão muito secos. Em seguida, voluntários cheiravam as lágrimas coletadas das mulheres ou uma solução salina, para fins de controle.

Todos os experimentos foram duplo-cegos, quando nem sujeito da pesquisa nem o pesquisador sabiam qual dos dois líquidos havia sido inalado.

A primeira pergunta feita pelos cientistas foi se as lágrimas tinham cheiro discernível. Mas os participantes não conseguiram dizer se havia diferença entre as lágrimas e a solução salina. Mesmo sendo inodoras, os experimentos seguintes mostraram que as lágrimas femininas afetavam o desejo sexual de homens. Após inalar as lágrimas alheias por meio de uma espécie de fita crepe presa entre o nariz e o lábio, homens consideraram mulheres em fotos menos atraentes sexualmente, comparando aos que inalaram a solução salina. Os cientistas observaram também uma diminuição nos níveis de testosterona medida na saliva dos voluntários que cheiraram lágrimas.

Os pesquisadores dizem ter identificado função emocionalmente relevante para as lágrimas. “Esses efeitos se materializaram sem que os homens vissem as mulheres chorando, e sem estarem cientes do que exatamente eles estavam inalando”, escrevem.

No entanto, os pesquisadores afirmam que ainda ficam várias questões em aberto, como qual o composto que atua na diminuição do desejo e se fatores como estado emocional, hormonal, gênero ou idade influenciariam o resultado.

    Leia tudo sobre: lágrimaschorotestosterona

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG