Igreja do século V é encontrada em Luxor

Os arqueólogos também encontraram um poço usado pelos egípcios para ver o nível da água do Rio Nilo

EFE |

Um grupo de arqueólogos egípcios encontrou em Luxor os restos de uma igreja do século V e de um nilômetro do II milênio a.C., anunciou hoje o ministro de Cultura egípcio, Farouk Hosny.

EFE
Igreja do período ptolemaico
Pelo comunicado do Conselho Supremo de Antiguidades (CSA), o achado ocorreu durante uma escavação de rotina no conhecido como Passeio das Esfinges, que liga os templos de Luxor e Karnak e que as autoridades egípcias tentam recuperar.

O secretário-geral do CSA, Zahi Hawas, explicou que os restos da igreja foram localizados no segundo setor do caminho, dos cinco nos quais está dividido.

Hawas acrescentou que a igreja foi construída com blocos de pedra do , que se estende entre os anos 350 e 30 a.C., e que estavam situados nas proximidades da avenida.

O secretário-geral do CSA disse que tinha descoberto um grande bloco de pedra com as inscrições "Monthemhat", quem fora governador da antiga Tebas durante a dinastia XVI, que governou entre os anos 664-525 a.C.

Sabri Abdel Aziz, chefe do Departamento do Antigo Egito, afirmou que a missão encontrou um nilômetro, construção subterrânea que permitia a chegada até o lençol freático para medir o aumento do rio Nilo, no setor quatro do Passeio das Esfinges.

EFE
O nilômetro tem sete metros de profundidade
O nilômetro é composto por uma pedra circular e uma escada de caracol de sete metros.

Além disso, contém um grupo de cerâmicas com datas do Império Novo (1569-1081 a.C.). A missão descobriu as bases de várias esfinges no último setor do caminho, que fica em frente ao templo de Karnak.

Nos blocos podem ser lidas várias inscrições que confirmam que o rei Amenhotep III (1372-1410 a .C.) construiu esta parte da via.

O CSA tenta recuperar o Passeio das Esfinges, de 2,7 mil metros de comprimento e 70 de largura, que estava ladeada por uma dupla fila de figuras que representam leões tombados com cabeça humana ou de carneiro, símbolo do antigo deus egípcio Amon-Ra.

    Leia tudo sobre: egitoigrejanilômetroarqueologia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG