Homem já pescava atum há cerca de 50 mil anos, diz estudo

Pesquisadores encontram anzóis primitivos e restos de atum fossilizado, no Timor Leste

Alessandro Greco, especial para o iG |

Susan O'Connor
Anzóis pré-históricos foram encontrados em gruta no Timor Leste
Pesquisadores liderados por Sue O’Connor, da Universidade Nacional da Austrália, descobriram restos de peixes de oceano fossilizado, como atum, de cerca de 42 mil anos de idade na gruta de Jerimalai em Timor Leste –em 2006 a mesma pesquisadora afirmou ter encontrado a primeira prova de ocupação humana no local.

A equipe, que publicou o estudo relatando a descoberta nesta quinta-feira (24) no periódico científico Science , encontrou também anzóis feitos de osso, um deles datado entre 23 e 16 mil anos. Segundo eles este é a primeira evidência de um anzol feito pelo homem já encontrado.

Os peixes fazem parte da alimentação humana há cerca de 2 milhões de anos. Porém os antigos pescadores pegavam seus peixes apenas na beira de rios e lagos, sem o uso de canoas ou qualquer equipamento. A descoberta dos anzóis na gruta do Timor Leste parece esclarecer uma antiga dúvida. Evidências históricas mostram que há 50 mil anos o homem atravessou o oceano para chegar à Austrália provavelmente vindo da África. Mas uma das questões que permanecia em aberto era como eles teriam feito para se alimentar em uma jornada tão longa.

Leia mais:
Homem já navegava há 130 mil anos, dizem arqueólogos
Há 100 mil anos, o homem já fazia arte
Homo erectus foi o primeiro mestre da cozinha, revela estudo

Os restos dos peixes e de anzóis também “demostram o alto nível de competência marítima e tecnologia possuído pelos homens que colonizaram a região. Essas habilidades podem ter possibilitado a ocupação e colonização das ilhas Wallacea [...] e facilitado a colonização marítima da Austrália e da Oceania”, afirmaram os pesquisadores no artigo.

    Leia tudo sobre: arqueologiapesca

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG