Guiana Francesa se prepara para lançar Soyuz pela 1a vez

Nave vai transportar dois satélites de geolocalização Galileo

Reuters |

Reuters
Foguete foi adaptado para permitir que empresa Arianespace leve para órbita carga de 3,2 toneladas

Um foguete russo Soyuz será lançado na quinta-feira (20) da Guiana Francesa, numa nova parceria entre Ocidente e Oriente para redefinir a concorrência comercial no espaço.

As naves Soyuz voam desde 1966, e são mais antigas até mesmo que os primeiros mísseis balísticos intercontinentais da Guerra Fria. Mas esta é a primeira vez que ela será lançada de fora do território da ex-União Soviética.

A bordo da nave viajarão os dois primeiros satélites europeus da rede europeia de geolocalização Galileo.

No final da década, quando estiver plenamente operacional, esse sistema dará autonomia aos europeus em relação ao sistema GPS, que é norte-americano. A Rússia diz que concluiu no começo deste mês um sistema semelhante.

O lançamento ocorre após anos de adiamentos e problemas orçamentários envolvendo o Galileo, além de quase uma década de discussões desde que França e Rússia firmaram a cooperação nos lançamentos das naves Soyuz, em 2003.

O foguete russo foi adaptado para permitir que a empresa europeia de lançamentos Arianespace, que opera o "mamute" Ariane-5, leve para órbita uma carga considerada média, 3,2 toneladas. 

A Rússia deve receber dezenas de milhões de dólares por cada lançamento, dinheiro que ajudará a financiar suas atividades espaciais. Ao mesmo tempo, a presença dos foguetes russos na base espacial europeia de Kourou, perto do Equador, ajudará a Arianespace a reduzir custos.

    Leia tudo sobre: MUNDORUSSIASOYUZGUIANA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG