Genoma do carneiro mostra sua versatilidade

Estudo genético reconstituiu a influência humana no DNA da espécie ao longo dos últimos 11.000 anos

AFP |

Getty Images
Estudo identificou regiões do genoma do carneiro que passaram por uma transformação rápida, em resposta à seleção de genes
O carneiro é um dos animais domésticos mais prolífico, já que está dotado de uma diversidade genética e um potencial de reprodução capazes de satisfazer as necessidades alimentares dos humanos, segundo um estudo sobre a evolução animal nos últimos 11.000 anos.

A pesquisa, publicada na revista americana PLoS Biology (Biblioteca Pública de Ciências Biológicas), foi realizada a partir do sequenciamento do genoma deste ovino.

Isto permitiu reconstituir a influência do homem através dos séculos para fazer com que o animal se adaptasse a diferentes ambientes e melhorasse a produção de sua carne, leite e lã, explicaram os cientistas.

Leia mais:
Sistema imunológico fraco dá algumas vantagens a animais
Ovelhas alteram registro de anéis das árvores
Ovelha dá à luz cordeiros gêmeos de cores diferentes na Austrália

Getty Images
Pesquisadores detectaram os efeitos genéticos da domesticação
O estudo identificou regiões específicas do genoma do animal que parecem ter passado por uma transformação rápida, em resposta à seleção de genes que controlam a cor da lã, o tamanho do animal, sua reprodução e, sobretudo, a ausência de chifres, um dos principais objetivos do cruzamento seletivo efetuado pelo homem.

Ao detalhar o que caracterizou a domesticação do carneiro e suas migrações pelo mundo, o estudo confirma e enriquece os conhecimentos atuais sobre os movimentos migratórios das populações humanas ao longo da história, afirmou James Kijas, da Agência Científica Nacional Australiana (CSIRO), coordenador da pesquisa.

O estudo reconstruiu os laços genéticos entre 2.819 ovelhas que pertenciam a 74 raças diferentes de vários lugares do mundo, por meio da comparação de 50.000 moléculas de DNA no genoma.

Assim foi possível detectar os efeitos genéticos da domesticação e a consequente divisão em centenas de raças.

Veja outras notícias sobre o genoma de animais:
Estudo do DNA de mamíferos possibilita descoberta de novos tratamentos médicos
Genoma de orangotango é mais diverso e estável que o de humanos
Cientistas sequenciam o genoma do mosquito doméstico tropical
Genoma de lagarto explica evolução dos vertebrados
Sequenciamento genético de animal marinho derruba convicções
Genoma de formiga pode ajudar a entender envelhecimento humano

"Descobrimos que a maioria das populações de carneiros contêm uma grande diversidade genética e que conseguiram manter um número de indivíduos muito maior que a maioria dos outros animais domésticos, inclusive os cães de raça, o que sugere que a domesticação aconteceu a partir de uma vasta base genética", disse Kijas.

    Leia tudo sobre: genomagenéticacarneiros

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG