Generosidade pode estar nos genes

Pesquisadores americanos descobrem genes que contribuem para uma personalidade gentil e generosa

The New York Times |

Getty Images
Estudo indica que genes podem prever a generosidade de uma pessoa
Ser agradável pode estar nos genes afirma novo estudo que descobriu que genes são, ao menos, parte do motivo de uma pessoa ser gentil e generosa.

Pesquisadores da Universidade de Buffalo e da Califórnia avaliaram o comportamento de pessoas com diferentes versões de receptores genéticos de dois hormônios – ocitocina e vasopressina – que acredita-se fazem as pessoas mais agradáveis.

“O estudo descobriu que estes genes combinado com a percepção das pessoas sobre o mundo como um lugar mais ou menos ameaçador pode prever a generosidade”, disse o autor do estudo Micheal Poulin, professor assistente de psicologia da Universidade de Buffalo.

“Especificamente, os voluntários que achavam o mundo ameaçador eram menos dispostos a ajudar – ao menos eles tinham versões dos receptores genéticos que eram associados à gentileza”

Poulin explicou que as versões “mais agradáveis” do receptor genético “permitem que a pessoa supere sentimentos de que o mundo ameaçador e ajude outras pessoas apesar destes medos”. O estudo será publicado no periódico científico Psychological Science.

“O fato de os genes predizerem o comportamento apenas pela combinação das experiências e sentimentos das pessoas em relação ao mundo não é surpreendente pois muitas conexões entre DNA e comportamento social são complexas”, disse Poulin.

Leia mais:
Espírito aventureiro está nos genes, diz estudo
Genes são responsáveis por 40% da inteligência ao longo da vida
A felicidade não está apenas nos genes
Impulsividade pode estar nos genes

“Portanto se um dos seus vizinhos parecerem ser pessoas generosas, cuidadosas, com preocupações sociais, enquanto outro parece ser mais egoísta, pão-duro e não parecer interessado em trabalhar com afinco, o DNA deles pode explicar porque um é mais agradável que o outro”, disse.

“Nós não estamos dizendo que achamos o gene da generosidade”, disse Poulin. “Mas encontramos genes que prestam uma contribuição para que isto aconteça. O que eu achei interessante é o fato que os genes só fazem sua contribuição na presença de alguns sentimentos que as pessoas têm sobre o mundo que as cerca”.

    Leia tudo sobre: genesgenéticagenerosidade

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG