Fósseis de 15 milhões de anos revelam semelhança com cangurus

Cientistas australianos encontraram em uma caverna 26 caveiras de um marsupial já extinto

AP |

AP
Esquelo do marsupial Nimbadon: ele tinha tamanho de ovelha e contava com garras gigantescas
Cientistas descobriram uma caverna no Outback, o deserto australiano, recheada de fósseis de marsupiais pré-históricos que datam 15 milhões de anos. Foi um achado raro que revelou algumas semelhanças surpreendentes entre as criaturas e os cangurus e coalas dos dias de hoje.

Os pesquisadores desenterraram um acervo muito bem preservado que inclui 26 caveiras de um marsupial extinto, chamado Nimbadon lavarackorum , que se assemelha ao vombate (marsupial escavador que vive na Tasmânia e no sul da Austrália). O Nimbadon é uma criatura estranha do tamanho de uma ovelha e com garras gigantescas. Os achados foram descritos em um artigo publicado esta semana no Journal of Vertebrate Paleontology.

"É muito emocionante para nós", disse Mike Archer, paleontólogo da Universidade de New South Wales e coautor do artigo. "Isto nos abre uma janela para o passado da Austrália, que simplesmente não podíamos imaginar. É um insight extra de alguns dos mais estranhos animais que podemos imaginar."

Os pesquisadores vêm escavando, desde 1990, a região de Riversleigh, no noroeste do estado de Queensland. Foi lá também que onde o primeiro crânio do Nimbadon foi descoberto em 1993. Os cientistas ficaram impressionados com a riqueza de fósseis bem conservados da área.

A descoberta de um aglomerado tão grande de fósseis sugere que os animais podem ter viajado em bandos - ou rebanhos – da mesma maneira que os cangurus de hoje em dia, disse a paleontóloga Karen Black, que liderou a equipe de pesquisa. 

Novos enigmas
Um mistério é saber como todos aqueles animais foram parar naquela área. Uma teoria é que eles acidentalmente cairam na gruta através de uma abertura obscurecida pela vegetação e morreram por conta da queda, ou ficaram presos por lá e morreram mais tarde.

Getty Images
Fósseis de animais encontrados apresentam semelhanças com os cangurus
Os crânios dos Nimbadon, incluídos os dos bebês – que se mantinham dentro das bolsas marsupiais de suas mães -, permitem que os pesquisadores estudem como os animais se desenvolviam. Os crânios revelaram que os ossos da parte frontal do rosto se desenvolviam muito rapidamente, o que teria permitido ao bebê mamar em sua mãe desde uma idade muito jovem.

Estes resultados sugerem que os bebês Nimbadon se desenvolviam de maneira muito semelhante aos cangurus de hoje - nasciam após uma gestação de um mês e eram arrastados dentro da bolsa materna pelo resto do desenvolvimento, disse Black.

O Nimbadon também pode ter algo em comum com outro marsupial. Os fósseis revelaram que as criaturas tinham grandes garras, que pode ter sido usado para subir em árvores - como fazem os coalas, disse Black.

A descoberta dos fósseis é muito importante, disse a paleontóloga Liz Reed da Universidade de Flinders, no sul da Austrália.

"Encontrar um espécime completo como esse e tantos outros de uma mesma faixa etária é algo bastante singular", disse Reed, que não era afiliado com o estudo. "Permite-nos dizer algo sobre o comportamento e crescimento e um série de questões que normalmente não é possível fazer."

    Leia tudo sobre: marsupiaiscangurusaustrálianimbadon

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG