EX-funcionário processa a Nasa por discriminação religiosa

David Coppedge, especialista em informática, afirma ter sido demitido após ter apoiado teses neocriacionistas

AFP |

Um ex-especialista da Nasa processou a agência espacial americana argumentando ter sido demitido por sua crença religiosa, disse seu advogado no começo do julgamento em Los Angeles, Califórnia (oeste).

O especialista em informática David Coppedge foi demitido no ano passado do Jet Propulsion Laboratory (JPL) - laboratório do Instituto de Tecnologia da Califórnia, sob contrato com a Nasa - depois de ter apoiado teses neocriacionistas do "desenho inteligente", um desafio atual à teoria darwiniana da evolução, sustentou nesta terça-feira seu advogado, William Becker.

Coppedge apresentou processo por discriminação religiosa em 2010 e assegurou ter sido demitido após nove meses, em represália. Segundo o JPL, a demissão ocorreu no contexto de um programa de redução de pessoal.

Leia mais:
40% dos americanos acreditam no criacionismo
Design Inteligente ganha espaço no Brasil
Igreja americana vai reconstruir arca de Noé

Nesta terça-feira, diante do tribunal, Becker declarou que o JPL acusava seu cliente de proselitismo por distribuir entre seus colegas DVDs sobre o "desenho inteligente".

Segundo Becker, o superior de seu cliente, Gregory Chin, disse: "Chegou ao meu conhecimento que esteve assediando colegas de trabalho por causa de sua religião".

Em declaração juramentada, Coppedge, que ingressou no JPL em 1996 e trabalhou na missão Cassini de exploração de Saturno, negou qualquer proselitismo agressivo.

Os advogados do JPL afirmaram que o ex-funcionário tinha obrigado seus colegas a escutar seus pontos de vista sobre o desenho inteligente e a proibição do casamento homossexual na Califórnia.

No entanto, afirmaram que sua demissão não tinha nada a ver com a distribuição dos DVDs e afirmou que dois de seus superiores, cristãos como ele, inclusive os compraram.

"Esta denúncia carece de fundamento e temos a intenção de lutar vigorosamente contra as acusações do senhor Coppedge", disse o JPL em um comunicado.

    Leia tudo sobre: nasacriacionismoex-funcionário

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG