Europa aprova missão que se aproximará como nunca antes do Sol

Agência espacial europeia enviará sonda para descobrir fenômenos físicos do Sol em 2017

EFE |

ESA
Imagem captada em 2003 mostra com detalhes erupção solar. Projeto do Esa vai se aproximar ainda mais do Sol
A Agência Espacial Europeia (ESA) anunciou nesta terça-feira (04) o lançamento do programa Orbiter, missão espacial que se aproximará como nunca antes do sol para estudar fenômenos físicos do astro.

A missão foi aprovada nesta terça-feira pelo Comitê para o Programa Científico da ESA, que também anunciou o projeto do telescópio Euclid, equipamento concebido para analisar as zonas mais escuras do Universo.

Um dos diretores da agência especial, Alvaro Gimenéz, disse que as duas missões mostram a preferência da ESA por pesquisas e observações que tenham reflexo na vida das pessoas.

"A Orbiter se aproximará mais do sol do que nenhuma outra missão no passado. Esse projeto produzirá um avanço importante no conhecimento de como o sol atua em seu entorno e na Terra", informou a agência em comunicado.

A sonda se aproximará tanto da estrela ei que será possível captar partículas conhecidas como vento solar logo após elas saírem do sol. Giménez disse que o estudo possibilitará um maior entendimento de como o astro afeta as comunicações radiofônicas e as redes elétricas.

A missão sairá de Cabo Canaveral em 2017 a bordo de um foguete Atlas da Nasa.

Já a Euclid será enviada ao espaço dois anos depois por uma plataforma de lançamento russa na base de Kuru, na Guiana Francesa. Com o equipamento, os cientistas esperam conhecer melhor fenômenos como a aceleração do Universo. O telescópio fará uma cartografia em grande escala do cosmos como nunca foi feita antes, assinalou a ESA.

"A Euclid revelará a história da expansão do Universo e o crescimento de sua estrutura nos três últimos quartos de sua existência", afirmou a agência.

    Leia tudo sobre: espaço esasol

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG