Especialistas acreditam que babuínos são capazes de estabelecer analogias

Especialistas franceses e americanos mostram que pequenos primatas conseguem relacionar conceitos mesmo sem ter linguagem

EFE |

Getty Images
Babuíno cuida de filhote no Quênia: boa memória e capacidade de analogia
Uma equipe de especialistas afirmou acreditar que os macacos babuínos são capazes de estabelecer analogias apesar de não possuírem uma linguagem, de modo que podem relacionar dois contextos diferentes, mas simbolicamente parecidos, informou nesta sexta-feira (23) o Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS) da França.

Esta nova teoria desmente a hipótese segundo a qual "apenas os seres humanos e os grandes primatas - aos quais se tenha ensinado previamente uma linguagem - são capazes de raciocinar dessa maneira".

Os babuínos, pequenos macacos originários da África, seriam capazes de estabelecer uma relação entre uma gata que alimenta seu filhote e um pássaro que faz o mesmo com suas crias, segundo os autores do estudo, realizado em colaboração com a Universidade Franklin & Marshall dos Estados Unidos.

No entanto, esta teoria surge a partir de um experimento menos complexo, no qual os pesquisadores incitaram 30 destes primatas a observar formas geométricas em uma tela táctil e a pressionar sobre as duplas pictóricas que representassem a mesma relação.

Leia também:
A ciência do novo Planeta dos Macacos

Primatas envelhecem como seres humanos
Vídeo: Macaco mandril cria ferramenta para pedicure
Macacos reconhecem 'amigos' em fotos, diz estudo
Memória dos macacos vai muito além do que eles enxergam

Após milhares de testes, seis primatas conseguiram responder corretamente ao exercício, "demonstrando assim uma capacidade para resolver esse tipo de problemas", afirmaram os autores da pesquisa, publicada pela revista Psychological Science.

Os cientistas destacaram, além disso, que após suspender a pesquisa um ano, os macacos voltaram a aprender as palavras de ordem mais rapidamente que da primeira vez, o que indica que "se lembravam da situação" anterior.

Os pesquisadores declararam que encontrar essa competência psicológica nos macacos de menor tamanho se explica geneticamente pelo fato de poder ajudá-los a transferir conhecimentos.

    Leia tudo sobre: primatasinteligênciababuínosmacacos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG