Equipe da Nasa aguarda com nostalgia fim dos ônibus espaciais

Pouso do Atlantis nesta quinta-feira encerra programa de 30 anos

AFP |

Astronautas e engenheiros da Nasa continham as lágrimas nesta quarta-feira (20), a menos de 24 horas do retorno do ônibus espacial Atlantis - missão que põe um ponto final ao programa de ônibus espaciais americanos e encerra um capítulo na história dos voos tripulados ao espaço.

O Atlantis deve pousar nesta quinta-feira, no Centro Espacial Kennedy em Cabo Cañaveral, Flórida (sudeste), exatamente 42 anos depois de Neil Armstrong ter-se tornado o primeiro a pisar na Lua.

Com a aterrissagem, prevista para as 05H56 (06H56 de Brasília), finaliza uma era de dominação dos Estados Unidos na exploração espacial. Até 2015, quando deverá estar pronto um novo veículo espacial, os astronautas americanos vão depender das Soyuz russas para viajar à Estação Espacial Internacional (ISS).

Nesta quarta-feira, horas antes da entrada do ônibus espacial na atmosfera, a estação de televisão da Nasa mostrou imagens ao vivo do centro de controle da missão e da Terra vista a partir do Atlantis, que desacoplou com sucesso da Estação Espacial Internacional (ISS) na terça-feira, iniciando a manobra de volta. Veja as imagens que marcaram a última missão do Atlantis:

Durante a missão de quase oito dias atracado à ISS, o Atlantis e seus quatro astronautas deixaram lá várias toneladas de alimentos e equipamentos para que a estação orbital e sua tripulação permanente de seis pessoas contem com provisões durante um ano.

Por sua vez, o Atlantis lotou seu compartimento de carga com 2,57 toneladas de resíduos e material usado que estavam na ISS.

No espaço e na Terra, a quarta-feira foi um dia de nostalgia.

"Minha prioridade, agora, é garantir que a nave e a tripulação cheguem à pista de pouso com toda a segurança", disse à CNN o ex-astronauta Charles Bolden, chefe da agência espacial americana.

Quando o Atlantis tocar a Terra, "minhas lágrimas serão de tristeza, mas também de alegria. De alegria, porque já estamos trabalhando com empresas privadas para enviar material à ISS no próximo ano", acrescentou.

Antes de os astronautas dormirem, o comandante da missão, Chris Ferguson, leu uma citação de Gene Kranz, o director de voo famoso por salvar os astronautas do Apolo 13, depois que um tanque de oxigênio explodiu durante viagem à Lua.

"Rezo para que nosso país encontre algum dia a coragem para aceitar o risco e os desafios para terminar o trabalho que começamos", disse Ferguson, considerando a citação de Kranz "muito apropriada".

Como parte do programa de ônibus espaciais, cinco naves (Atlantis, Challenger, Columbia, Discovery e Endeavour) integraram a flota dos primeiros veículos espaciais reutilizáveis do mundo.

Além do protótipo Enterprise, que nunca voou, só três ficarão expostos, agora, em museus, depois da destruição do Columbia e do Challenger em acidentes que provocaram a morte de seus tripulantes.

Em momentos de austeridade fiscal, o presidente Barack Obama decidiu pôr fim ao programa dos ônibus espaciais, 30 anos depois do primeiro voo, o do Columbia, em 12 de abril de 1981. Cada uma das 135 missões, desde essa época, custaram entre 450 e 500 milhões de dólares.

    Leia tudo sobre: espaçonasaônibus espacial

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG