Embrapa desenvolve variedade transgênica de cana resistente à seca

Plantas serão testadas em campo apenas no ano que vem; nova variedade pode evitar perdas de 10 a 50% devido à falta de chuvas

AE |

selo

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) anunciou ter desenvolvido suas primeiras variedades transgênicas de cana-de-açúcar tolerantes à seca.

As pesquisas começaram em 2008 e a entidade informou que as primeiras plantas selecionadas em laboratório passarão por um estágio de multiplicação in vitro nos próximos três meses para depois serem avaliadas em casa de vegetação, ou seja, cultivadas em vasos dentro de estufas.

Somente a partir de maio de 2012, após avaliações quanto às características de tolerância à seca, as plantas selecionadas serão avaliadas em campo, mediante aprovação junto ao Comitê Técnico Nacional de Biossegurança (CTNBio).

No campo, as variedades precisam ser testadas ao menos por cinco anos, período mínimo para que um canavial comercial seja renovado. Nesse período, os pesquisadores precisam avaliar se os efeitos da transgenia resistem na planta e se ela mantém produtividade compatível com as outras variedades do mercado.

Segundo a Embrapa, as perdas nos canaviais podem variar entre 10% e 50% em decorrência da seca, dependendo da região e da época de plantio.

Além dessa pesquisa, o Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), mantido pelo setor privado, também desenvolve variedades transgênicas tolerantes à seca. A pesquisa com transgenia em cana da Embrapa é desenvolvida sob a coordenação do pesquisador Hugo Bruno Correa Molinari, da Embrapa Agroenergia, em Brasília (DF). O trabalho conta com o apoio de laboratórios da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia e da Japan Internacional Research Center for Agricultural Sciences (Jircas), empresa de pesquisa vinculada ao governo japonês.

    Leia tudo sobre: transgênicoscana de açúcarembrapa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG