Em pássaros de muitas cores, piolhos se adaptam

Parasitas escolhem pássaros de cores análogas às suas para se hospedar

The New York Times |

A camuflagem não é nenhuma novidade na natureza. Uma ampla variedade de animais, como coelhos, pássaros e cervos, é enigmaticamente pintada para se misturar ao cenário e se proteger contra predadores.

Agora, pesquisadores descobriram que os parasitas também são capazes de se esconder. Observando piolhos que vivem nas penas de pássaros, pesquisadores descobriram que piolhos de cores claras vivem em pássaros claros, enquanto piolhos escuros vivem em pássaros de cores mais escuras.

O estudo irá aparecer na próxima edição de “The American Naturalist”. Os pesquisadores examinaram 26 pares de pássaros de diferentes cores – como um cisne negro e um branco, um pelicano branco e um marrom. Em todos os casos, a cor dos piolhos nos corpos dos pássaros combinava com a cor das penas.

Os pássaros limpam regularmente suas penas com o bico, e são mais aptos a encontrar piolhos que contrastam com a cor de suas penas.

Com o tempo, os piolhos evoluíram para se aproximar da coloração de seus hospedeiros, disse Sarah Bush, bióloga da Universidade de Utah e principal autora do estudo.

Os pesquisadores descobriram, porém, que os piolhos de uma região de difícil acesso para o bico dos pássaros – na cabeça – não necessariamente combinavam com a cor das penas. “Os pássaros não conseguem olhar em suas próprias cabeças”, afirmou Bush. “Ali não existe seleção evolutiva para que os piolhos busquem outra cor, a menos que sejam removidos”.

Os piolhos nas cabeças de todos os pássaros tendiam a ser escuros independente da cor das penas, levando Bush a acreditar que os piolhos mais escuros possam ter uma vantagem evolutiva.

“Ninguém testou isso, mas a cor pode ser uma proteção contra a radiação UV”, disse ela.

    Leia tudo sobre: evoluçãopássarospiolhos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG