Dupla foi a primeira a realizar feito sem assistência e o objetivo foi arrecadar dinheiro para pesquisas contra o câncer

Dois australianos percorreram 1.130 quilômetros e chegaram até o Pólo Sul e se tornaram os primeiros aventureiros a realizar o trajeto sem nenhum tipo de assistência. Os dois iniciaram agora a volta para o ponto de partida, no litoral da Antártida.

James Castrission e Justin Jones, de 29 e 28 anos, respectivamente, chegaram ao Pólo Sul neste sábado, 61 dias após iniciaram sua marcha, informou a imprensa australiana.

A aventura faz parte de uma campanha para arrecadar donativos para a luta contra o câncer e foi realizada cem anos depois da proeza do norueguês Roald Amundsen e o inglês Robert Scott, os primeiros homens a chegarem ao Pólo Sul.

Leia mais:
Noruega celebra centenário da expedição de Amundsen na Antártida
Expedição refaz viagem de Amundsen ao Polo Sul um século depois
Animais de corrida no Pólo Sul ganham reconhecimento no mapa
Há 100 anos, expedição Terra Nova partia rumo à Antártida
Belgas tentam quebrar recorde mundial de expedição na Antártida
Livro publica fotos inéditas da expedição de Scott ao Polo Sul


Agora, eles terão pela frente o desafio de fazer o caminho de volta em apenas 28 dias, já que um atraso de dez dias diminuiu a quantidade de mantimentos que os dois transportavam.

Apesar de Antártida ser verão, os dois homens enfrentaram temperaturas abaixo de zero e fortes ventos. Eles consumiam por dia uma quantidade de calorias equivalente a 15 hambúrgueres.

O mau tempo, no entanto, atrasou a chegada ao Pólo Sul e os dois tiveram que racionar comida. Por isso, perderam quase 15 quilos. "Estamos com metade de nossos mantimentos, por isso o retorno vai ser bastante complicado", disse Castrission. Em 2008, ele e Jones fizeram história ao se tornaram as primeiras pessoas a realizarem numa canoa o trajeto entre a Austrália e a Nova Zelândia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.