Detectada nova variedade do vírus H5N1 da gripe aviária

Nova cepa ainda não é motivo de alerta, avisa organismo internacional, mas vacinas poderão ter que ser revisadas

EFE |

A Organização Internacional de Saúde Animal (OIE) informou nesta quarta-feira que recentemente foi identificado um foco do vírus H5N1 de gripe aviária, batizado como 2.3.2.1 e, embora não tenha sido considerado motivo de alerta, recomendou aumentar a vigilância.

"Quando surge qualquer nova variedade, se reforça a necessidade de manter o controle dos vírus na população animal para que qualquer mudança seja detectada o mais rápido possível e se possa iniciar a estratégia de controle mais adequada", indicou a OIE em comunicado.

A organização explicou que o tipo 2.3.2.1. faz parte das mutações que se produzem dentro da evolução natural do vírus, recomendou manter uma vigilância constante sobre as populações de aves e pediu aos serviços veterinários nacionais que informem rapidamente sobre qualquer doença incomum que detectem.

Informou também que, da mesma forma que as vacinas contra a gripe em humanos, as dirigidas ao meio animal devem ser revisadas a cada ano com o intuito de garantir que estejam combatendo de maneira eficaz os vírus.

O laboratório de referência da organização em Harbin (China) desenvolveu um tipo de vacina para proteger as aves dessa nova variedade do vírus e, quando estiver concluída a fase experimental e disponível para sua utilização, será aplicada nos países nos quais tenha sido detectado.

A OIE destacou que o programa de detecção precoce e resposta rápida às doenças animais são "cruciais" na prevenção e no controle de focos de gripe em animais.

    Leia tudo sobre: gripe aviária

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG