Descobertos fósseis de predador marinho de 488 milhões de anos

Anomalocarídeos, predadores aquáticos de aparência similar aos camarões, habitaram os mares por mais tempo do que se imaginava

iG São Paulo |

Esben Horn
Modelo do anomalocarídeo Laggania: predador pré-histórico que lembra vagamente um camarão
Cientistas da universidade americana de Yale descobriram no Marrocos fósseis de "estranhas" criaturas marinhas gigantes que habitaram a Terra no período Ordoviciano, entre 488 milhões e 472 milhões de anos atrás.

Em estudo publicado na edição mais recente da revista Nature, os pesquisadores Peter Van Roy e Derek Briggs estimam que os anomalocarídeos, predadores com corpos leves e dois apêndices espinhosos que saíam da boca, de aspecto similar aos camarões, habitaram os mares por um tempo muito mais longo do que se acreditava até agora. Os fósseis, de um metro de comprimento, são muito maiores que outros datados do mesmo período.

Os anomalocarídeos possuíam dentes afiados, úteis para perfurar as couraças de pequenos artrópodes como os trilobites, e lóbulos para se deslocar na água. Os espécimes mais antigos dessas criaturas, conhecidas como "camarões estranhos", datam do período Cambriano Médio, entre 542 milhões e 501 milhões de anos atrás.

O fato de os animais encontrados no Marrocos serem 30 milhões de anos mais jovens que os que habitaram a Terra no Cambriano indica que os anomalocaris dominaram os ecossistemas marítimos muito antes do que se pensava.

(Com informações da EFE)

    Leia tudo sobre: paleontologiaanimais marinhos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG