Descobertos destroços de navio abandonado no Ártico há 157 anos

Navio estava desaparecdio desde 1853 após ter ficado preso no gelo

AFP |

© AP
Ilustração de 1851 mostra o HMS Investigator preso no gelo do Ártico
O Canadá anunciou nesta quarta-feira (28) a descoberta de destroços de um navio britânico desaparecido há 157 anos no Ártico e que teve um papel importante na história da exploração desta região do país, no século 19.

Trata-se dos restos do navio que havia sido despachado por Londres em 1850, para tentar encontrar a equipe do explorador Sir John Franklin, desaparecido alguns anos antes nesta mesma região.

As partes do Investigator foram localizadas domingo com a ajuda de um sonar, declarou à imprensa um funcionário do serviço de parques nacionais canadenses, Marc-André Bernier.

Os restos estão a 11 metros de profundidade numa baía da ilha de Banks, a oeste do arquipélago ártico. Estava perto do local onde a tripulação abandonou o navio em 1853, após passar três invernos presa no gelo, explicou Bernier, encarregado da arqueologia submarina a serviço dos parques.

"É verdadeiramente um drama humano, uma história de sobrevivência incrível, e podemos imaginar as esperanças e o desepero desta tripulação até ser socorrida por (um outro navio britânico) o HMS Resolute", disse ele, por telefone, a partir do sítio da descoberta, em Mercy Bay, norte da ilha Banks, a 75 graus de latitude norte.

"O navio foi o primeiro a navegar no último trecho da Passagem Noroeste", via marítima procurada durante séculos, de ligação do Atlântico ao Pacífico ao norte, informou Bernier.

    Leia tudo sobre: naufrágioscanadáárticoarqueologia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG