Osso de um homem que viveu há 170 mil anos vai ajudar na compreensão da evolução da espécie humana

Paleontólogos encontraram osso frontal de um dos últimos Homo erectus
AFP
Paleontólogos encontraram osso frontal de um dos últimos Homo erectus
O osso frontal de um homem de 170.000 anos foi descoberto numa gruta marítima situada em Lazaret (sudeste da França), informou nesta quarta-feira um grupo de cientistas.

O caçador nômade da Côte d'Azur francesa tinha cerca de 25 anos quando morreu porque as suturas dentadas de seu osso frontal ainda não estão soldadas, segundo explicou a paleontóloga Marie-Antoinette de Lumley.

Trata-se de um dos últimos Homo erectus, cuja descoberta poderá proporcionar importantes informações para entender a evolução de seu sucessor, o Homem de Neandertal.

"Com esta fronte, bastante baixa e esmagada, é possível ver uma parte do rosto", acrescentou a cientistas, que destacou a raridade da descoberta feita por um grupo de estudantes que participam nas escavações.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.